Reportar erro
Novo negócio

Univision e Televisa anunciam fusão para criar empresa poderosa de comunicação

Novo grupo poderoso será formado

Televisa e Univision
Televisa e Univision: novo grupo de comunicação a caminho com fusão - Foto: Reprodução
Redação NT

Publicado em 14/04/2021 às 09:27:51,
atualizado em 14/04/2021 às 13:25:34

A Univision Communications e o Grupo Televisa planejam se fundir para formar uma nova e poderosa empresa de mídia em espanhol com um pé nos Estados Unidos e outro no México, segundo noticiou o periódico Los Angeles Times. As empresas anunciaram em conjunto nessa terça-feira (13), formalizando um processo que começou discretamente no ano passado.

A fusão histórica representa uma redução brusca dos controles de Emílio Azcárraga Jean, cuja família está há décadas no controle do conglomerado mexicano, que abrange TV e outras mídias. A nova empresa será conhecida como Televisa-Univision, e será a maior empresa de mídia em língua espanhola do mundo. Ela será administrada pelo presidente executivo da Univision, Wade Davis, um ex-executivo do alto escalão da Viacom e que montou o grupo de investidores e comprou a Univision em 2020. O acordo será fechado ainda em 2021.

A união foi escalonada para colocar a Televisa-Univision como uma força mundial em streaming. "Olhando para o mercado global, nunca houve uma empresa de mídia verdadeiramente global no idioma espanhol", disse Davis.

Ao apostar no reconhecimento mundial do nome da Televisa e na capacidade de programação em espanhol, a Univision espera turbinar seus esforços nos dois países, Estados Unidos e México. E também outros. O negócio vai na direção do que fez a Disney ao adquirir a Fox em 2019 por US$ 71 bilhões para aumentar a programação e na oferta de conteúdo.

A força de Univision-Televisa

No México, a Televisa tem lutado para se adaptar à era do streaming. Ela perdeu audiência para a Netflix. Embora a empresa tenha produzido mais de 86 mil horas de conteúdo em 2020, suas novelas não atraíram o público jovem como fazia há décadas.

A Univision é sediada em Miami e depende de novelas de baixo custo da Televisa para preencher sua programação no horário nobre. E também enfrenta uma concorrência da Telemundo, propriedade NBCUniversal.

No novo negócio, a Televisa terá 45% de participação. "O negócio sempre foi um sonho para nós. Esse sempre foi o objetivo e agora conseguimos", disse o CEO da Televisa, Alfonso de Angoitia. Para ele, a parceria que vem de décadas, tem um desfecho bom para ambas as partes, e na sua visão, era a hora de fazer isso.

A fusão facilitará uma mudança efetiva para o streaming ao combinar conteúdo, instalações de produção, economias substanciais de custos operacionais e pontos de distribuição próprios nos dois maiores mercados de língua espanhola do mundo. A Televisa vai contribuir com quatro redes de TV aberta, 27 canais pagos, a produtora de filmes Videocine e a plataforma de video on demand Blim TV. Além, é claro, da marca Televisa.

Já a Univision colocará a disposição as redes abertas Univision e Unimás, 58 estações de rádio nos Estados Unidos e Porto Rico, além de vários canais de TV por assinatura e o recém-lançado streaming PrendeTV.

O negócio em cifras

Segundo os termos do acordo, a Univision pagará à Televisa US$ 3 bilhões em dinheiro e US$ 750 milhões em ações ordinárias da Univision e outros US$ 750 milhões em ações preferenciais. A Televisa avaliou seus ativos em US$ 4,8 bilhões.

Quando o negócio for concluído, a família Azcárraga abrirá mão de seu controle acionário, mas a família ganhará parte de uma empresa com sede nos EUA. O avô de Azcárraga ajudou a fundar a Univision 60 anos atrás, e seu pai transformou a Televisa em um grande império da comunicação.

Para o professor Fernando Morgado, ao contrário do que muitos pensavam, a internet não provocou uma ampliação no número de grande players no mercado da comunicação. "Na verdade, a concentração nunca foi tão grande no cenário internacional. Fusões e aquisições se tornaram muito mais frequentes. Foram os casos, por exemplo, da Disney com a Fox, da Viacom com a CBS e da TV Globo com a Globosat", lembrou ao NaTelinha.

"Essas transações visam ampliar catálogos, reduzir despesas e gerar ganhos de escala. Sendo assim, a união da Televisa com a Univision pode proporcionar melhores condições na batalha contra as majors e plataformas de streaming estadunidenses, que olham para o público latino com especial atenção", analisou ele.

Mais Notícias