Reportar
erro
Processo arquivado

Justiça nega pedido prisão de William Bonner: "Delírios negacionistas"

O advogado Wilson Issao Koressawa entrou com um mandado de segurança cível contra o jornalista


William Bonner falando com microfone na mão, em pé, com logo do Jornal Nacional ao fundo
William Bonner durante as celebrações pelos 50 anos do Jornal Nacional - João Cotta/TV Globo
Por Redação NT

Publicado em 17/01/2022 às 15:17:42

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios rejeitou uma ação que pedia a prisão de William Bonner, por incentivar a vacinação contra a Covid-19 em crianças e adolescentes. O processo foi movido pelo advogado e ex-candidato a deputado pelo PSOL Wilson Issao Koressawa, que atribui ao jornalista da Globo crimes de indução ao suicídio. Na ação, o apresentador do Jornal Nacional é acusado de participar de uma suposta organização criminosa para falar sobre os impactos positivos do imunizante no combate à pandemia.

Segundo informações do jornal Folha de S.Paulo, o bolsonarista denunciou Bonner por "envenenar água potável, de uso comum ou particular, ou substância alimentícia ou medicinal destinada a consumo". Em decisão divulgada no último domingo (16), a juíza Gláucia Falsarella Pereira Foley não viu fundamento no pedido de prisão do comunicador. "O poder Judiciário não pode afagar delírios negacionistas, reproduzidos pela conivência ativa – quando não incendiados – por parte das instituições, sejam elas públicas ou não", escreveu a magistrada, que ainda falou sobre o exercício de liberdade da imprensa.

"Além disso, a decisão do Supremo Tribunal Federal, na ADPF 130/DF, consagrou o entendimento de que o exercício da liberdade de imprensa assegura ao jornalista o direito de expender críticas a qualquer pessoa, especialmente contra autoridades e agentes do Estado. Para Eugênio Bucci, aliás, mais do que direito do jornalista, a liberdade de informação é direito do cidadão e dever da imprensa", disse, em trecho do despacho, citando um professor universitário.

William Bonner provoca com selfie após ter pedido de prisão negado

Após a notícia de que a ação que pedia sua prisão foi negada, William Bonner usou as redes sociais para publicar uma selfie com os olhos arregalados e uma legenda sugestiva, que consistia apenas na data de ontem, 16 de janeiro de 2022, dia em que foi divulgado o arquivamento do processo que pretendia incriminá-lo. Os seguidores do jornalista captaram a mensagem e deixaram comentários de apoio ao âncora do Jornal Nacional.

"Já vi de tudo, menos pedir a prisão de um repórter que fala a verdade e é pela ciência. Estamos juntos, Bonner", escreveu Pedro Ricardo. "A cara de quem vai continuar incentivando a vacinação", destacou Wil Xavier.

Pablo Pereira lamentou a situação. "Parece até piada o que vou escrever... Que bom que não vai ser preso por incentivar a vacina! Que país é esse?", questionou. "Estou chocada também, quanto delírio, viu! Boa sorte, sou sua fã", comentou Josy Branco, ainda na mesma publicação.

 

Participe do nosso grupo e receba as notícias mais quentes do momento.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Participe do grupo
Mais Notícias
Outros Famosos