Thiago Forato
Reportar erro
Enfoque NT

Reestreia do Se Joga é tudo que o Vídeo Show deveria ter sido para não ser extinto

Se Joga ressurge repaginado: de igual, só o título

Fernanda Gentil no comando do Se Joga
Fernanda Gentil no comando do novo Se Joga - Reprodução/TV Globo
Thiago Forato

Publicado em 06/03/2021 às 16:05:22,
atualizado em 06/03/2021 às 16:10:33

Spoiler de novela, erro de gravação, bate-papo com famoso e BBB. Esses são os elementos que Fernanda Gentil disse que teriam no Se Joga, que reestreou neste sábado (6) ao vivo. Te parece familiar? Pois é. É praticamente uma releitura do Vídeo Show (1983-2019).

Fora do ar há um ano, o Se Joga pecou por querer "abraçar o mundo", mesclando musicais, games bobos e fofocas na tentativa de seduzir o telespectador. Além disso, havia três apresentadores que não se conectavam [Fabiana Karla e Érico Brás], e a apresentação solo de Fernanda Gentil já mostrou que funciona. Prova disso, foi suas experiências no Encontro, nas eventuais (e frequentes) folgas de Fátima Bernardes.

O retorno do Se Joga peca apenas pelo nome. Desgastado, o telespectador rapidamente associa àquele programa ruim que durou apenas seis meses entre 2019 e 2020, e depois saiu da programação para nunca mais voltar. Em comum com o que ia ao ar até o estouro da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no ano passado, só mesmo o título.

Se Joga aproveita o que a Globo oferece

Reestreia do Se Joga é tudo que o Vídeo Show deveria ter sido para não ser extinto

Com conteúdo completamente repaginado, o Se Joga é uma releitura daquilo que o Vídeo Show deveria ter feito para não ser extinto. Mesclar os bastidores da Globo, aproveitar seu elenco estelar e produtos de maior apelo, como o Big Brother Brasil, com uma edição dinâmica, bem feita e objetiva. Isso sem falar nos gráficos, que estão parecidíssimos com a antiga atração da Globo.

O retorno do Se Joga teve bom ritmo, a começar por uma entrevista com Sandy e Lucas Lima, relembrando Estrela-Guia (2001). Muito curta, é verdade, mas o tempo é um fator decisivo para esse dinamismo. Nessa retomada, o Se Joga ainda vai reviver momentos históricos e tentar pegar o público pela memória afetiva. Na reestreia, a morte dos Mamonas Assassinas, com direito a entrevista de Faustão. 

A julgar pela estreia, é possível que o Se Joga peça passagem para ganhar mais tempo, se mantiver o mesmo ritmo.


Thiago Forato é jornalista, assina a coluna Enfoque NT desde 2011, além de matérias e reportagens especiais no NaTelinha. Converse com ele pelo e-mail thiagoforato@natelinha.com.br ou no Twitter, @tforatto  



Mais Notícias