Thiago Forato
Reportar erro
Enfoque NT

Projeto a longo prazo ou aventura: A necessidade de mais futebol no SBT

Libertadores é uma ilha dentro do canal

Taça da Libertadores no SBT
Libertadores se transformou em ilha no SBT - Divulgação
Thiago Forato

Publicado em 20/02/2021 às 07:07:42,
atualizado em 20/02/2021 às 08:40:37

O SBT bem que tentou, mas não conseguiu adquirir os direitos do Campeonato Carioca 2021-2022. A transmissão acabou ficando com a Record na TV aberta, acendendo a discussão: o que será do departamento de Esportes da rede de Silvio Santos? Existe planos para construir algo sólido ou a Copa Libertadores da América é apenas uma aventura?

A Conmebol tem um acordo com o SBT para a transmissão do maior torneio entre clubes sul-americanos até o final de 2022. Ainda há mais duas temporadas pela frente, com a certeza que o Grupo Globo vai correr atrás do prejuízo e tentar recuperar os direitos da competição. Afinal, ter perdido um torneio da magnitude da Libertadores pode ter sido apenas acidente de percurso, numa manobra que subestimou seus adversários.

Nas últimas semanas, o SBT teve uma oportunidade interessante de exibir o Campeonato Carioca. Na final do ano passado, a emissora transmitiu a final com exclusividade entre Fluminense e Flamengo, e o título do rubro-negro rendeu a liderança no Ibope do Rio de Janeiro. Uma experiência embrionária para o que viria a seguir.

Há ainda outros torneios no mercado, como a própria Copa Sul-Americana, que deve contar com o Corinthians nesta temporada, que é um campeão de audiência. De "brinde", a Recopa, que reúne o campeão da própria Sul-Americana e Libertadores. A edição deste ano terá o Palmeiras contra o Defensa y Justicia, da Argentina, e pelo andar da carruagem, deve ficar restrito ao pay-per-view da Conmebol.

Libertadores virou ilha no SBT

Existe ainda a possibilidade de trazer a Liga dos Campeões da Europa, o maior torneio interclubes do mundo. São boas possibilidades para dar maior consistência e solidez a um departamento de Esportes que se resume a Libertadores. E depois de 2022, caso não exista mais nenhum evento a ser exibido, a natural tendência é a de extinção do departamento.

Trocando em miúdos, a Libertadores se tornou uma ilha dentro do SBT. E ilha também de audiência. Depois de uma final que tenha alcançado mais de 30 pontos na Grande São Paulo, nada que a emissora exiba na programação é capaz de atrair a nova audiência que frequenta a emissora.

Com uma programação aos frangalhos, lotada de reprises e enlatados, o SBT tem na Libertadores a grande arma para angariar um público que redescobriu suas atrações. E ainda não fez nada para cativá-lo, seja adquirindo novos torneios ou melhorando sua grade.

Enquanto novas aquisições não são anunciadas, o fato é que o SBT teve uma excelente cobertura do torneio que adquiriu. Um pré-jogo digno, coisa que a Globo, por conta da novela das nove, não se propõe fazer. E uma movimentação intensa para a finalíssima, que ocorreu no dia 30 de janeiro, no Maracanã, que consagrou o Palmeiras campeão.

A Globo só dá essa importância a um evento em tempos de Copa do Mundo. Quem comemora, certamente, é o torcedor e fã do esporte, que tem mais uma opção na TV para mostrar seu time de coração.


Thiago Forato é jornalista, assina a coluna Enfoque NT desde 2011, além de matérias e reportagens especiais no NaTelinha. Converse com ele pelo e-mail thiagoforato@natelinha.com.br ou no Twitter, @tforatto  

Mais Notícias