Enfoque NT

Fla-Flu no SBT mostra que emissora não deveria ignorar o futebol

Final do Cariocão fez sucesso nas redes sociais e bateu recordes no Rio e Brasil afora

Fla-Flu no SBT mostra que emissora não deveria ignorar o futebol
Téo Jose, Athirson e Carlos Alberto na transmissão da final do Cariocão - Reprodução/SBT

Publicado em 16/07/2020 às 11:15:21 ,
atualizado em 16/07/2020 às 11:53:30

Por: Thiago Forato

Para quem esperava uma transmissão de futebol no SBT em rede nacional, demorou 17 anos para que isso acontecesse, desde que a emissora de Silvio Santos travou uma batalha contra a Globo pelo Paulistão 2003. A grande final do Campeonato Carioca entre Flamengo e Fluminense na noite dessa quarta-feira (15) causou comoção por parte de torcedores, não só dos clubes, mas também do SBT. "A TV que tem torcida" conseguiu gerar em pouco mais de três dias uma incrível mídia espontânea. E tudo isso sem muito alarde, já que o SBT começou as chamadas da final já na noite de domingo (12).

Com uma equipe formada por Téo José na narração, Carlos Alberto e Athirson nos comentários, além de Jorginho e Rivellino no intervalo e reportagens de Isabele Benito e Smigol, teve a responsabilidade de entregar um produto de alto nível. E no final das contas, conseguiram, sendo coroado com um golzinho no final da partida, dando o título ao Fla.

Bastante elogiado à frente desse curto projeto do SBT, Téo José se mostrou familiarizado com a velha casa [ele foi contratado do canal nos anos 90]. Fez chamadas para Ratinho, novelas infantis e até mexicana com grande naturalidade. Os comentaristas, a princípio, não conseguiam esconder o nervosismo, principalmente Athirson, que não concluía um raciocínio.

Corrida contra o tempo no comercial e espontaneidade na transmissão

Apesar disso, o cartão de visitas, logo no início da transmissão, encantou. Todos uniformizados com um lindo cenário ao fundo chamaram a atenção, por ser uma emissora não tão tradicional neste segmento. Afinal de contas, o SBT ignorou o futebol por mais de uma década e meia, seja por ser quase impossível concorrer com a Globo ou não conseguir encontrar meios de manter vivo o esporte na programação, a emissora surpreendeu pelo empenho e espontaneidade da transmissão.

O departamento comercial também merece destaque. Vendeu seis cotas de patrocínio em apenas três dias, o que certamente deve ter causado grande empolgação.

A transmissão foi um dos grandes eventos da TV brasileira em 2020. Não foi somente uma final de Campeonato Carioca. Houve até quem politizasse a partida.

Se Silvio Santos, que é tricolor das Laranjeiras (e não corintiano, que somente adotou o clube em São Paulo por ser o mais popular), observar os números, logo constatará que o futebol é um grande negócio que não pode ser descartado. Não é todo dia que a novela das nove, da Globo, fica em segundo lugar.

Seja no Carioca ou até mesmo na Copa do Nordeste, que pode ter as partidas mais decisivas em rede nacional, trata-se de um produto que não pode ser tão ignorado como foi ao longo dos últimos 17 anos.






LEIA TAMBÉM

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!