Enfoque NT

As madrugadas não são mais as mesmas: Jô Soares completa 81 anos fazendo falta na TV

Enfoque NT analisa a ausência de Jô Soares na TV

O apresentador Jô Soares
Jô Soares no "Programa do Porchat" no ano passado - Divulgação/Record TV

Publicado em 16/01/2019 às 06:40:56 ,
atualizado em 16/01/2019 às 17:48:04

Por: Thiago Forato

Há exatos 25 meses fora da TV - a última edição do "Programa do Jô" foi ao ar em 16 de dezembro de 2016 -, Jô Soares completa mais um verão nesta quarta-feira (16). Coincidentemente, este jornalista que vos escreve também.

São 81 anos de pura lucidez e humor afiado, vide duas entrevistas ao "Programa do Porchat" em 2018, depois de ter seu contrato descontinuado com a Globo. Caso quisesse, Jô poderia seguir em qualquer outra emissora, seja entrevistando ou fazendo seus humorísticos. Este último, no entanto, ele já não faz há muito mais tempo.

Com seu talk-show, Jô Soares fez história. Tentou na Globo na década de 1980 por várias vezes com Boni. A falta de espaço na grade, no entanto, impediu que Jô começasse sua carreira por lá  como entrevistador.

Sua estreia ocorreu somente em 1988 com o "Jô Soares Onze e Meia", que numa das piadas prontas do SBT, nunca começava no horário marcado. Lá, fez milhares de entrevistas, épicas e marcantes e se tornou um dos mais importantes questionadores do país.

O "Jô Soares Onze e Meia" perdurou até o ano de 1999. O apresentador negociava sua volta para a Globo desde o final de 98. Jô creditou sua mudança à uma "inquietação artística" e a linha de programação do SBT, que era outra de quando chegou, por exemplo.

"Quando fui para o SBT, a programação tinha Boris Casoy, Lillian Witte Fibe, dramaturgia e investimento em jornalismo. Hoje, isso mudou. Os rumos da programação são outros", afirmou Jô numa edição de junho de 1999 do jornal O Globo.

A Globo prometeu independência, além de investimentos maciços, num formato que já havia sido consagrado na emissora concorrente. O Gordo voltaria à Globo após 12 anos fora.

Mesmo com um contrato sendo assinado em meados de 99, o apresentador cumpriu seu contrato com o SBT até dezembro, com exibição até o dia 30 daquele mês.

Isso também não impediu que Silvio Santos fizesse uma homenagem à Jô no extinto "Em Nome do Amor". Os dois sempre nutriram uma relação de repeito e admiração mútuos.

Estreia alardeada e marasmo ao longo do tempo

Estreando em abril de 2000, Jô Soares esteve motivado por muito tempo a fazer de seu talk-show um produto que tivesse sempre um frescor, mesclando o que sabe fazer muito bem: entrevistar.

Mas o tempo foi inimigo do "Programa do Jô", que pareceu ter perdido estímulo, juntamente com sua produção. Sem grandes novidades e com um formato quadrado e hard, poucas entrevistas fugiram do óbvio e do comum em seus últimos anos na Globo.

Apenas uma nova inquietude poderia fazer com que Jô Soares voltasse. Para a o bem da TV e do público, ter uma figura da magnitude de Jô seria abrilhantar novamente o meio com sua presença e humor peculiar.

As madrugadas sem ele não são mais as mesmas. Embora Pedro Bial faça um bom trabalho com o seu "Conversa", é incomparável o buraco que Jô deixou com seu talk-show.

Que volte de verdade e não de maneira esporádica como ocorreu no Fox Sports na Copa do Mundo de 2018.

Feliz aniversário a nós, Jô!

Thiago Forato é jornalista, escreve sobre televisão há 14 anos e assina a coluna Enfoque NT há oito, além de matérias e reportagens especiais no NaTelinha. Converse com ele: thiagoforato@natelinha.com.br Twitter: @tforatto



publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!