Enfoque NT

Cinco apresentadores que poderiam salvar o "Vídeo Show" do cancelamento

Coluna analisa apresentadores que poderiam dar ao "Vídeo Show" mais anos de vida

Fotos/Divulgação/Montagem/NaTelinha

Publicado em 10/01/2019 às 09:15:59 ,
atualizado em 10/01/2019 às 11:46:27

Por: Thiago Forato

A Globo bem que tentou, mudou apresentadores, conteúdo, contratou ex-"BBBs" influentes nas redes sociais, mas nada e nem absolutamente ninguém conseguiu resultados expressivos com o "Vídeo Show" além de resultar em consecutivas derrotas para a Record TV no horário.

O "Balanço Geral SP", com o quadro "A Hora da Venenosa", tendo Reinaldo Gottino, Fabíola Reipert e Rodrigo Lombardi debatendo fofocas em uma mesa, consegue a ponta do ranking do Ibope sem maiores esforços diante da produção da Globo. Até o "Video Game" a Globo tentou ressuscitar em novembro de 2017, mas não deu certo.

O "Vídeo Show" terminou sob o comando de Joaquim Lopes e Sophia Abrahão onde o problema já não era mais o conteúdo, que estava melhorando e perfeitamente assistível. Acontece que o "Balanço Geral SP" se consolidou.

A Globo  desistiu de mudar apresentadores e conteúdo, embora pudesse ter tentado um outro horário, e cancelou a atração quase 36 anos depois. Aqui, vale a observação: se o "Vídeo Show" fosse ao ar mais tarde, sem a concorrência do quadro de fofocas da Record TV, não teria sido cancelado. E vale mais uma: com um segundo horário de reprises de novelas durante à tarde, após o "Jornal Hoje".

Como dificilmente isso vai acontecer, listo aqui cinco apresentadores que poderiam salvar o "Vídeo Show" ou ao menos fazê-lo ganhar uma sobrevida, seja pela novidade, carisma ou talento de conduzir um programa tão tradicional da Globo.

Confira:

Fausto Silva

Irreverente, espontâneo e sem filtro, Faustão foi contratado pela Globo por seu jeito despojado no final dos anos 1980 devido ao seu desempenho no extinto "Perdidos na Noite", na Band.

Dificilmente, é claro, Fausto daria expediente diário na emissora, principalmente se o "Vídeo Show" se mantivesse no Rio de Janeiro. Ele faz seu programa dos estúdios da Globo em São Paulo. Ao não ser, claro que, que remanejassem o já falecido programa para a capital paulista.

Tornando o "Vídeo Show" um programa com menos conteúdo de celebridades e bastidores, Faustão seria capaz de repaginá-lo e fazer a atração, enfim, cair nas graças do público.

Há quem reclame do apresentador, mas há mais de uma década, tem o programa de auditório mais assistido da televisão brasileira.

Luciano Huck

O apresentador do "Caldeirão" está no ar desde 2000 com sua atração aos sábados à tarde. Só a partir de 2002, contudo, conseguiu assumir a liderança de vez. Raul Gil, naqueles tempos na Record TV, dava trabalho com seus calouros.

Caso fosse para o "Vídeo Show", tornaria a atração um pouco mais sensacionalista, o que comprovadamente dá Ibope, explorando nuances pouco feitas até então pelo programa. Afinal, fofocas e celebridades o horário já tem o número 1.

Loucura, loucura loucura... Obviamente, sua ida ao "Vídeo Show" também seria impossível.

Ana Maria Braga

Muitos vão dizer que ela fracassou no horário vespertino em 1999 com o "Mais Você" até migrar para as manhãs. Mas, os tempos são outros, e fora os telejornais, Ana Maria Braga e Louro José detêm o título de programa número 1 das manhãs da Globo, com uma pontuação maior que o "Encontro" e "Bem Estar". A loira vem mantendo entre os 7 e 8 pontos no Ibope na Grande São Paulo.

Com suas gafes que se transformam em meme, certamente tornaria o "Vídeo Show" uma atração mais divertida e leve, não sendo tão chapa branca como acontece.

Sem contar que, ela faz o papel que muitas vezes o "Vídeo Show" deveria fazer, como esse espaço analisou na estreia de "O Tempo Não Para" em agosto do ano passado. Visitar cidades cenográficas como a da própria novela das sete atual e de "Deus Salve o Rei", dentre outras, como ilustra a foto acima, se vestindo a caráter e sobretudo, vestindo a camisa da Globo.

Tiago Leifert

O apresentador multiprograma da Globo, que acumula o "Big Brother Brasil", "The Voice Brasil", "Zero1" e nas horas vagas o "Central da Copa", poderia acumular mais uma função, o de apresentador de "Vídeo Show".

Informal, despojado e com 10 anos de experiência no vídeo, Tiago Leifert começou no "Globo Esporte SP", mas seu bom desempenho foi tão flagrante que o credenciou para apresentar o "The Voice", até abandonar o segmento esportivo em 2015, voltando em períodos esporádicos, como a Copa do Mundo.

Com carisma de sobra, Tiago é praticamente o Silvio Santos dos Estúdios Globo. O único que consegue apresentar tantos programas. O "Vídeo Show" cairia como uma luva para ele, que certamente conseguiria remodelar a atração e fazê-la subir no Ibope novamente com suas ideias sem fazer com que perdesse a identidade.

Fábio Porchat

Recém-saído da Record TV, Fábio Porchat ficou por mais de dois anos à frente de seu talk-show, sem dúvida também seria um bom nome, dando uma reinventada que o "Vídeo Show" precisa. Ou precisava.

Divertido e com jogo de cintura para lidar com qualquer tipo de pessoa, como mostrou com seus entrevistados, Porchat também tem ideias que poderia tirar o "Vídeo Show" do marasmo que se encontra.

Por fim...

É uma pena que um programa com quase 36 anos, tão tradicional, desapareça da grade da Globo. A emissora, bem verdade, tentou de tudo que pode, conforme dito no início do artigo. Só não tentou mudar seu horário e fugir da concorrência, coisa que suas concorrentes geralmente fariam.

Como ventilado, o fim do "Vídeo Show" abre uma porta para que outro programa de entretenimento ocupe seu lugar, o que deve acontecer nos próximos meses.

Thiago Forato é jornalista, escreve sobre televisão há 13 anos e assina a coluna Enfoque NT há sete, além de matérias e reportagens especiais no NaTelinha. Converse com ele: thiagoforato@natelinha.com.br Twitter: @tforatto



publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!