Reportar erro
Colunas

"Aprendiz" tem estreia decepcionante, mas se salva por bons personagens

Confira análise da coluna "Território da TV"

996e25102cae85e12576f6c037e0d05d.jpg
Divulgação/TV Record
Redação NT

Publicado em 23/04/2014 às 08:41:58

Entre idas e voltas de Roberto Justus, o formato do “Aprendiz” é com folga o reality mais utilizado pela Record na fase recente da emissora. Mas sem a importante chancela das novelas de sucesso entregando a audiência nas alturas, a situação se complicou para o jogo, que agora ganhou nova faixa horária (22h15) e passou a ter a participação de famosos, em mais uma inovação, que sucede edições com universitários, empreendedores e retorno de ex-participantes.

Aliás, famosos ou “famosos”? O elenco parece ter um nível intelectual suficiente ao menos para entender as explicações do empresário que comanda o programa. Não ter cedido para subcelebridades de carteirinha e típicas de “A Fazenda” já é um feito. Mas o preço dessa certa elitização foi a presença de muitas figuras que você dificilmente reconheceria nas ruas caso as visse.


O VT de apresentação da temporada, que contou com depoimentos de amigos dos participantes (aí sim celebridades de peso) evidenciou mais ainda esse problema. Marília Gabriela, por exemplo, mandou mensagem para seu filho. Dentre os parentes de famosos, estão ainda a avó de Sasha e o cunhado de Sandy.

Ainda nessa abertura, Justus tentou contemporizar as tais celebridades até mesmo com o desempenho do astro do basquete Michael Jordan nas telonas em “Space Jam”, justificando que a fama o fez faturar muito mais do que o esporte, o que seria a deixa para todos buscarem o estrelato supostamente alcançado pelos 15 aprendizes. 15 só nesta terça (22). Com um número atipicamente desigual de homens e mulheres no jogo, uma delas já foi eliminada ontem. E o caminho até essa sala de reuniões especial foi complicado.

A grande prova do dia foi uma série de apresentações de 2 minutos dos participantes em um circo. Quase um “Se Vira nos 120” assistido por Justus, Renato Santos, que retorna após se mostrar bem na temporada anterior, e Cacá Rosset, que substituiu pifiamente Walter Longo. Mais conhecido por polêmicas e bom humor, Cacá terá uma difícil missão para passar credibilidade em suas palavras, seja aos participantes ou ao público.

Público que terá de se acostumar ao ritmo fraco de início, o que já ficou evidenciado nessa prova inaugural. Natural, mas que causa estranhamento para quem acompanhou os “repetentes” já começando com gás total em seus regressos.  

Se os participantes decepcionaram no primeiro desafio, a produção não fez por onde eles tivessem alguma chance de demonstrarem mais habilidades num duelo especial entre os líderes das equipes. Eles tiveram que adivinhar nomes de frutas exóticas, preços de algumas, ao melhor estilo do antigo (e nada saudoso) programa comandado por Juan Alba nas tardes do canal, e até mesmo apostarem em pesos aproximados. Só faltou uma checagem sobre quais afundam e quais boiam. Nesse eletrizante duelo com cara de “Dona Xepa”, vitória de Nahim, que desponta como um dos bons personagens do programa. Em sua performance circense, o ex-jurado do “Cante se Puder” criou um funk: “Ele (Justus) vem de Land Rover, nós viemos de busão, mas no fim desse programa, vou sair com 1 milhão”.

E os mais experientes tendem mesmo a carregar essa temporada nas costas. A favorita absoluta do público já despontou hoje. Trata-se de Beth Szafir, que mostrou ansiedade em certos momentos, mas também empenho ao construir o que chamou de castelo de cartas (acredite: isso era parte de outra prova! Beth, ao lado de Ana Moser e Alexia Dechamps, ainda analisou imagens em pequenas redações). A mãe de Luciano, que pelo menos até agora segue como Szafir mais famoso, resistiu ao jogo e viu a modelo de sobrenome bem menos famoso ser eliminada antes mesmo da primeira prova de verdade.

Sensação de decepção tanto para Alexia quanto para o público, que foi convidado para uma estreia, mas viu praticamente só uma prévia do que espera de verdade de um “Aprendiz”.

Apesar disso e da verba evidentemente baixa por mais uma vez, o material humano do jogo, seja com a falta de noção de Beth ou com a braveza mantida de Justus mesmo contra celebridades, salva o reality e já é suficiente para o transformar em uma boa opção de entretenimento.
 

No NaTelinha, o colunista Lucas Félix irá mostrar um panorama desse surpreendente território que é a TV brasileira.

Ele também edita o https://territoriodeideias.blogspot.com.br e está no Twitter (@lucasfelix)

Mais Notícias