Entrou em desespero

Thiago Oliveira chora no Caldeirão e diz: "Coração na boca"

Thiago Oliveira não segurou o medo no quadro Toque de Caixa


Thiago Oliveira chora na Globo
Thiago Oliveira chorou de desespero no Toque de Caixa - Foto: Reprodução/TV Globo

Thiago Oliveira entrou em desespero e chegou a chorar durante sua participação no quadro Toque de Caixa do Caldeirão com Mion deste sábado (6). O jornalista não aguentou e mostrou o medo que sentiu pelo objeto que iria tocar na atração e teve que ser amparado por Marcos Mion.

O primeiro desafio de Thiago Oliveira foi um bucho de boi. Ao colocar as mãos no objeto, ele começou a gritar de medo e desespero. "Ai, meu Deus!", gritava ele, enquanto Marcos Mion e a plateia riam da situação. "Olha, eu já vi gente com medo nesse quadro, mas eu acho que o Thiago conseguiu o primeiro lugar na lista", disparou o apresentador.

"Gente, isso é sério. É desesperador. A adrenalina vai lá em cima. O coração tá na boca, sério"!", desabafou o jornalista, que estava com o olho cheio de lágrimas. "O olho tá cheio de lágrimas, mas ele foi corajoso", completou Marcos Mion.

Veja:

Silvero Pereira também foi vítima do Toque de Caixa

imagem-texto

Além de Thiago Oliveira, Silvero Pereira também foi vítima dos objetos misteriosos do Toque de Caixa. Em julho, o ator, que interpreta o personagem Zaqueu na novela Pantanal, teve que colocar as mãos em besouros vivos.

Segundo o próprio Marcos Mion, o interprete ficou "sem cor" enquanto estava com as mãos na caixa. Pálido, com os lábios brancos e gritava muito, passando a sensação de estar com muito nojo. Após tirar a venda e perceber no que tinha passado as mãos, ele soltou gritos de desespero. "Besouro é barata, gente, é barata", berrou.

Contudo, antes de ser apavorado pela caixa misteriosa, Silvero Pereira comentou sobre seu papel em Pantanal. "Se a gente pensar na edição da década de 90, o personagem tinha uma visão mais engraçada. O (Zaqueu) de agora, não perdeu essa graça, mas a gente tem que entender que hoje, tanto tempo depois, essa discussão precisa ser levada mais a sério. O Zaqueu de agora, de 2022, é um Zaqueu que impõe respeito e orgulho, dentro lá do Pantanal exigindo que eles respeitem a diversidade que o Zaqueu é", disse ele.

Mais Notícias