Novos tempos

Por que a Globo demitiu Casagrande?

Emissora tem nova política rígida e que não abre mão


Casagrande sentado com um microfone na mão
Casagrande deixou a Globo após 24 anos - Foto: Reprodução/Globoplay
Por Daniel César

Publicado em 08/07/2022 às 04:30:00,
atualizado em 08/07/2022 às 10:57:38

Muita gente foi pego de surpresa na última quarta-feira (06) com o anúncio de que Globo e Walter Casagrande Jr chegaram a um acordo de rescisão contratual e o comentarista esportivo deixou o canal. Ele é um dos nomes que preferiu deixar a emissora depois da circular interna que determinou a nova política comportamental para os funcionários.

O NaTelinha apurou que Casagrande foi informado de que ele deveria tomar cuidado com seus comentários, tanto nos programas da emissora, como do SporTV ou mesmo em entrevistas concedidas a outros veículos, como no Roda Viva. A direção da Globo não teria gostado da forma como seu comentarista esportivo foi incisivo em críticas ao presidente Jair Bolsonaro na ocasião.

Casagrande jamais foi obrigado a não falar o que pensa, mas a nova regulamentação da emissora inviabilizava o atual momento do profissional. Ele chegou a dizer a amigos que se sente na obrigação de combater o que entende ser um momento delicado da democracia brasileira. Em entrevista ao UOL na última quinta-feira (07), ele não escondeu isso ao dizer que tem proximidade com o PT e que será oposição a Bolsonaro para o resto da vida.

Não se trata de censura ou de apoio ao atual governo. A regulamentação que o canal passou para os funcionários visa proteger a marca, ao menos é isso que foi passado a todos os contratados. Para a Globo, quando um funcionário está com o rosto constantemente em algum produto da emissora e emite uma opinião, o público pode confundir que seja a posição política do Grupo. Num cenário polarizado, como está sendo a eleição de 2022, isso pode trazer prejuízos para a marca. 

Novas diretrizes da Globo

imagem-texto

Além dele, a emissora também avisou seu cast de dramaturgia que o caminho é o mesmo. Atores e atrizes que estiverem no ar não poderão fazer campanha para nenhum candidato, mas a regra não vale para os contratados que estejam fora da grade.

Internamente, a expectativa é que essa regulamentação esteja valendo apenas até dezembro e, a partir de 2023 as manifestações políticas voltem a ser autorizadas. Mesmo assim, vários artistas estão incomodados com as novas diretrizes. 

Participe do nosso grupo e receba as notícias mais quentes do momento.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do Telegram.

Participe do grupo
Mais Notícias