Reportar
erro
Exclusivo

Caso Celso Daniel no Globoplay: Produtora tentou emplacar filme com viés anti-Lula

Joana Henning tentou produzir filme com Guilherme Fiúza


Joana Henning, de braços cruzados, posa para foto
Joana Henning, produtora do Caso Celso Daniel, tentou fazer filme anti Lula com texto de bolsonarista - Foto: Reprodução
Por Daniel César

Publicado em 03/02/2022 às 07:40:41,
atualizado em 03/02/2022 às 15:31:46

A série documental Caso Celso Daniel estreou semana passada no Globoplay e segue dando o que falar. A produtora responsável pelo documentário, Joana Henning  afirma que se trata de uma obra isenta, porém, o NaTelinha apurou que ela já tentou financiar um projeto crítico de Lula, com direito a participação de um roteirista ligado ao presidente Jair Bolsonaro, Guilherme Fiúza.

A reportagem descobriu que antes de ter sinal verde para produzir O Caso Celso Daniel, que gerou incômodo nos bastidores da Globo por parecer uma obra sob medida para tentar influenciar as eleições, Joana Henning  já havia tentado emplacar, de modo independente, um produto muito menos isento com o título Nunca Antes.

Ela fazia parte da equipe de um filme roteirizado por Guilherme Fiúza, simpatizante de Bolsonaro e contrário a vacina da Covid-19. A produção teria a narração de outra personalidade muito conhecida dos fãs do presidente Jair Bolsonaro - adversário de Lula nas eleições -: Marcelo Madureira. Hanning iria ser diretora  de  produção, uma função de produção e não criação, do projeto por sua própria empresa, a Isso Produções Artísticas.

Como era o projeto

Caso Celso Daniel no Globoplay: Produtora tentou emplacar filme com viés anti-Lula

A empresa tentou arrecadar a bagatela de R$ 2,5 milhões por meio de crowdfunding, a popular vakinha. Mas não conseguiu atingir o objetivo e foi retirado do ar. Graças ao cache da web, é possível ver que todo o projeto foi levado para que as pessoas pudessem doar. Clique aqui para confirmar as informações. O NaTelinha apurou que o projeto não chegou nem perto dos valores pretendidos.

Em 2016, ou seja, antes das eleições presidenciais, além  da Isso Produções,  Henning  se un iu a Sérgio Sá Leitão,  que v irou sócio do Estúdio Escarlate, responsável pela produção do documentário de Celso Daniel. Atualmente, Sérgio é secretário do governo Doria, outro adversário de Lula nas eleições. Já Joana foi ao prêmio Person of the Year, concedido a Moro - mais um adversário do petista nas eleições - em 2018 nos EUA.

O outro lado

NaTelinha procurou Joana Henning, através do Estúdio Escarlate, que enviou a seguinte resposta:

"Em resposta às perguntas solicitadas, o Estúdio Escarlate acredita que qualquer apuração sobre os bastidores da série reafirma o direito de imprensa que pautam as premissas democráticas, premissas essas que conduzem a cultura dessa empresa. Diversidade, criatividade e liberdade de expressão são a base de nosso trabalho. Produzimos a série documental "O Caso Celso Daniel" com foco no esclarecimento do caso, sem qualquer agenda oculta. Fruto de um trabalho criterioso de cinco anos de pesquisa, o projeto não tem a intenção narrativa ou estratégica de influenciar os rumos eleitorais em 2022. Pelo contrário, quem assistir à série em seus 08 episódios, lançados semanalmente na Globoplay até 17 de fevereiro, estará munido de informações de qualidade e esclarecedoras sobre o caso.

A responsabilidade que sempre pautou o Estúdio Escarlate e a produtora Joana Henning na condução de sua carreira, com contribuições importantes no cenário de projetos sociais e culturais no País, foi a mesma que levou à desistência do documentário Nunca Antes..., citado pelo repórter. O Estúdio Escarlate enxergou possíveis reviravoltas no curso da Operação Lava Jato e decidiu sair do projeto, arquivando-o. Declaramos ainda que o jornalista Guilherme Fiúza não possui qualquer relacionamento com o Estúdio. Sérgio Sá Leitão ocupou a função de sócio da produtora por 06 meses, até decidir pelo seu total desligamento, em 20/02/2017, para assumir um cargo público. A campanha de captação para o projeto do documentário Nunca Antes sequer foi ao ar. O perfil chegou a ser construído, mas, com a desistência da ISSO Produções em produzir o filme, nunca houve captação de recursos ou execução do projeto


A produtora Joana Henning compareceu ao evento "Person of the Year" na condição de esposa e acompanhante do marido, Pedro Parente, então presidente da Petrobras, homenageado no ano anterior em Londres. A presença de Joana Henning no evento não caracteriza de forma alguma nem proximidade nem alinhamento político com Sérgio Moro. Pedro Parente não possui nenhuma relação com a carreira de sua esposa, além do suporte pessoal acompanhando-a em eventos na área de sua profissão.

A Escarlate nunca produziu, não produz e não produzirá, em qualquer uma de suas obras, propaganda antidemocrática disfarçada de jornalismo. A série "O Caso Celso Daniel" mostra como a informação isenta e checada evita que o desconhecimento dos fatos que permeou o caso ao longo de 20 anos se perpetue em forma de desinformação. " 

Confira o trailer do documentário sobre Caso Celso Daniel produzido pelo Globoplay:

 
Participe do nosso grupo e receba as notícias mais quentes do momento.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Participe do grupo
Mais Notícias