Reportar erro
Economia

Governo inclui EBC, dona da TV Brasil, em programa de desestatização

Projeto vai gerar consumo da União

Jair Bolsonaro em fórum econômico
Jair Bolsonaro aprova desestatização da EBC - Foto: Divulgação
Redação NT

Publicado em 09/04/2021 às 09:50:40,
atualizado em 09/04/2021 às 10:04:04

O presidente Jair Bolsonaro incluiu a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), dona da TV Brasil, dentre outras divisões, no Programa Nacional de Desestatização. A Eletrobras também foi incluída no programa. A decisão foi publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (9).

O Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) havia decidido incluir a EBC no processo no dia 16 de março. De acordo com o Ministério da Economia, a desestatização permitirá excluir despesas de aproximadamente R$ 400 milhões da União.

O Ministro das Comunicações, Fábio Faria, havia defendido a privatização da EBC. "Temos um compromisso com o Governo e, junto com o @mincomunicacoes, vamos trabalhar para otimizar os serviços, reduzindo custos e aumentando receitas, com uma gestão mais dinâmica e alinhada às mudanças do mercado", disse em sua conta no Twitter.

A inclusão da TV Brasil na desestatização

Segundo Martha Seiller, secretária especial do PPI, mesmo com a inclusão da EBC no programa, é possível que alguma alteração legislativa seja necessária durante o processo. Houve quem não gostasse da ideia de privatizar a EBC. Uma carta assinada pela Frente em Defesa da EBC e da Comunicação Pública e por entidades de representação estatal argumentou contra a privatização.

Dentre outros motivos, a carta diz que a TV Brasil e o grupo EBC é um patrimônio do povo brasileiro e que desempenha o papel fundamental de ser fonte independente e diversa de informação. "A privatização da EBC, com seus serviços de rádio, televisão e agência de notícias não faz nenhum sentido. Seja informativo e cultural. E nem sequer econômico, porque essencialmente civilizatório", afirma.



Mais Notícias