Reportar erro
Amor Estranho Amor

Primeira exibição de filme "proibido" de Xuxa movimenta a web

Xuxa impediu o filme por décadas de passar na TV

Xuxa olhando séria
Xuxa teve filme exibido pelo Canal Brasil - Divulgação
Redação NT

Publicado em 12/02/2021 às 09:56:12,
atualizado em 12/02/2021 às 10:12:53

O Canal Brasil exibiu na madrugada desta sexta-feira (12) o polêmico filme Amor Estranho Amor (1982), em que Xuxa Meneghel, então aos 18 anos e antes da fama, vive uma prostituta e faz cenas de sexo com um menino de 12. Por muito tempo, ela conseguiu barrar na Justiça a exibição do longa, mas passou a permitir sua comercialização há cerca de três anos. A exibição foi bastante comentada nas redes sociais.

Vários internautas ficaram decepcionados sobre a qualidade do longa-metragem. "Que filme mais bizarro esse Amor Estranho Amor, o cara que escreveu ou dirigir tava muito drogado e também ainda é pedófilo ao escolher menores para o cast", opinou um usuário identificado como Erick Kill Monger.

Outro usuário de nome Feluma detonou: "Esse filme é sei lá o que, o roteirista devia ser um tarado pedófilo". "Xuxa se queimou com esse filme, era muita imatura. Não devia ter ouvido o namorado Pelé, amigo do produtor do filme Anibal Massaini Neto", opinou outro.

Mario Sor analisou que Xuxa não deveria ter proibido o filme: "O problema do filme foi o fato dela ter entrado na Justiça para proibi-lo. Meu, era só um filme? Então liberasse, como em outros tantos filmes, falassem sobre ele, sobre como foi feito, entrevistar os artistas. Tinha algo a esconder? Agora liberou?".

Confira essas e outras reações:

O filme polêmico de Xuxa

Em Amor Estranho Amor, Xuxa é coadjuvante. O elenco conta com nomes de peso na época, como Tarcísio Meira, Vera Fischer e Mauro Mendonça. No longa de Walter Hugo Khouri, a apresentadora interpreta uma adolescente vítima de exploração sexual. Ao longo da carreira, o filme foi usado como forma de atacar a loira. Sempre houve quem insinuasse que se tratava de uma produção pornográfica, o que não é verdade.

No ano passado, em entrevista à colunista Patrícia Kogut, do jornal O Globo, refletiu: "Eu sou criticada sobre o que eu fiz ou não fiz. E não importa o que eu venha a fazer de bom, vão lembrar das coisas ruins. Fico chateada quando falam do filme que fiz quando tinha 18 anos. Eu queria deixar claro: não transei com um menino e não fui vendida para um prostíbulo. Minha personagem foi vendida para um prostíbulo, coisa que acontece hoje em dia. Aquilo é ficção, mas é a realidade de muita gente hoje em dia".

A eterna Rainha dos Baixinhos pagava cerca de R$ 345 mil por ano para deter os direitos de exibição do filme. A exibição no Canal Brasil na próxima semana será a primeira na TV desde o lançamento, na década de 1980. Com a decisão judicial favorável à loira, havia grande dificuldade em encontrar a produção mesmo em sites piratas na internet.



Mais Notícias