Briga na Justiça

Globo e Maju são processados por homem absolvido em caso de racismo

Investigado por ataque a jornalista em 2015 pede R$ 800 mil e direito de resposta

Globo e Maju são processados por homem absolvido em caso de racismo
A apresentadora Maria Júlia Coutinho - Foto: Reprodução/TV Globo

Paulo Pacheco

Publicado em 15/10/2020 às 21:22:01 ,
atualizado em 15/10/2020 às 21:32:42

A Globo e a apresentadora Maria Júlia Coutinho foram processados por um dos investigados pelos ataques racistas sofridos pela jornalista, em 2015. Kaique Batista, absolvido pela Justiça de São Paulo por falta de provas, pede R$ 800 mil como indenização por danos morais, além de direito de resposta.

Segundo o processo, Kaique Batista desenvolveu depressão e síndrome do pânico durante a investigação e foi vítima de uma condenação midiática antes da sentença judicial. O valor cobrado à Globo se refere ao período em que ficou sem trabalhar e precisou trocar de residência.

"Ele foi injustamente penalizado não apenas pela Globo, mas também por Maju, e sofreu durante cinco anos por uma denúncia infundada, pela qual foi absolvido. Ele está doente, desempregado, precisou fugir de casa para não ser apedrejado, e sua fotografia está em todos os lugares. A indenização é para compensar o sofrimento que ele teve durante estes cinco anos", justifica o advogado de Kaique Batista, Francisco Angelo Carbone Sobrinho, ao NaTelinha.

Em julho de 2015, Maju Coutinho foi alvo de ofensas racistas na página do Facebook do Jornal Nacional, em que trabalhava no quadro da previsão do tempo.

Justiça condenou dois homens por ataque a Maju Coutinho

O Ministério Público do Rio de Janeiro investigou o caso e denunciou quatro pessoas: Erico Monteiro dos Santos, Rogério Wagner Castor Sales, Kaique Batista e Luís Carlos Félix de Araújo. Os dois primeiros foram condenados em março deste ano. As penas variam de cinco a seis anos de reclusão em regime semiaberto e aplicação de multa. Kaique e Luís Carlos foram absolvidos por falta de provas.

A defesa do homem absolvido pela Justiça também pede direito de resposta "pelo mesmo tempo em que Globo e Maria Júlia falaram, noticiaram ou associaram a vítima, ora autor, a esses fatos". O pedido de indenização de Kaique para Globo e Maju tramita na 11ª Vara do Foro Central Cível do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo).

Procurada pelo NaTelinha, a Globo afirmou que não se manifesta sobre assuntos sub judice.


Siga o NaTelinha nas redes sociais

Reportar erro

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!