Reportar erro
Mulheres

Gazeta debate gordofobia após ser criticada por oferecer dieta a convidada

Programa recebeu reclamações por ter sugerido emagrecimento a advogada

Programa Mulheres debate gordofobia
Programa Mulheres, da Gazeta, debate gordofobia
Paulo Pacheco

Publicado em 16/06/2020 às 17:48:00

Após ter constrangido uma convidada com uma proposta surpresa para emagrecer, na semana passada, o programa Mulheres abriu espaço para a gordofobia, aversão a pessoas gordas, da qual a atração da Gazeta foi acusada pelo público e por ativistas da causa.

Nesta terça-feira (16), o programa recebeu seu comentarista de fofocas, Arthur Pires, as influenciadoras Alexandra Gurgel e Bielo Pereira e a advogada Sandra Daniotti, personagem central do episódio considerado gordofóbico.

"Na semana passada, muitas pessoas se sentiram ofendidas pelo que aconteceu aqui. De antemão, eu já ofereço o meu pedido de desculpas, em meu nome, em nome da equipe do programa Mulheres e em nome da emissora. Hoje, eu estou muito mais aqui para ouvir do que falar e aprender do que ensinar", disse a apresentadora Regina Volpato.

No programa de 8 de junho, Sandra Daniotti tirava dúvidas sobre direito da família, sua especialidade, quando foi surpreendida pela endocrinologista Maithê Pimentel, oferecendo um tratamento para a colega perder peso.

Alexandra Gurgel explicou o que é gordofobia, discriminação originada pelo padrão estético, e esclareceu uma das principais mentiras sobre o movimento pelo corpo livre: “A gente não faz apologia à obesidade, e sim à liberdade”.

Bielo Pereira relatou preconceito sofrido também por ser negra e transgênero. Arthur Pires, apresentador do Fofoca Aí, não escondeu a satisfação de retornar ao Mulheres após três meses de isolamento falando sobre um assunto que o atinge desde a adolescência. "Passei por um processo de bulimia muito grande".

Sandra Daniotti, ao falar sobre o episódio, admitiu não ter percebido que a atitude da colega foi gordofóbica e afirmou ter aceitado a proposta para emagrecer por uma questão de saúde. Magra desde a adolescência, a advogada revelou ter começado a engordar quando perdeu uma filha.

"Eu não sinto que sofri gordofobia, não me sinto com essa lesão, porque o primeiro passo para mim é o meu autoconhecimento. Quando uma pessoa me chama de gorda, isso não me atinge porque eu sou gorda", afirmou ela.

Alexandra Gurgel explicou para a advogada por que a atitude da endocrinologista pode ser considerada gordofóbica.

"A gente precisa falar que o que aconteceu com a doutora Sandra foi gordofobia médica sim, também, e foi gordofobia sim, doutora Sandra. A senhora fala que não passa gordofobia porque não sente. Para você tudo bem, você está de boa, tem autoestima, mas acontece com a senhora e com um monte de gente. A gente ouve dos médicos nos consultórios: 'Você é sem-vergonha, isso ou aquilo'. A senhora ouviu isso em rede nacional, propondo um desafio para mudar o seu corpo, a sua imagem, quando a senhora é uma palestrante, doutoranda, advogada, uma mulher incrível e com uma história que a gente nem sabia de superação. Não estou falando que foi um erro da Gazeta, foi da convidada. Dialogar isso é mostrar às pessoas que não podemos normalizar esse tipo de atitude", declarou a influenciadora.

 Telespectadores que criticaram a Gazeta na semana anterior elogiaram o debate sobre gordofobia. Confira reações:

Mais Notícias