Luto

"Domingo Espetacular" é criticado por homenagem a Paulo Henrique Amorim

Apresentador foi a cara do programa durante 13 anos

Paulo Henrique Amorim homenageado no "Domingo Espetacular" - Foto: Reprodução/Record

Publicado em 15/07/2019 às 09:06:30 ,
atualizado em 15/07/2019 às 09:34:12

Por: Naian Lucas

Nesse domingo (14), o programa “Domingo Espetacular” homenageou o jornalista Paulo Henrique Amorim, que morreu na última quarta-feira (10), aos 76 anos, vítima de infarto fulminante. Ele comandou a atração durante 13 anos e foi afastado em junho, supostamente após pressão pelas críticas que fazia ao presidente Jair Bolsonaro. Houve muita reclamação nas redes sociais sobre a abertura do jornalístico e certa frieza ao apresentar as reportagens.

A revista eletrônica dividiu a homenagem em duas partes: a primeira matéria teve cerca de 13 minutos, enquanto a segunda durou três. O VT mais longo dedicou espaço aos amigos e colegas do ex-âncora para falar da experiência de ter convivido com PHA.

“Essa semana o jornalismo perdeu um craque da notícia. O nosso colega Paulo Henrique Amorim. Ele sofreu um mal súbito dentro de casa, no Rio de Janeiro”, começou a apresentadora Patricia Costa. “A morte pegou de surpresa amigos, fãs e todos nós. Paulo Henrique era carioca, mas vivia em São Paulo há mais de 20 anos. Sério com a notícia, mas sempre bem-humorado com a vida. Essa mistura é lembrada por todos como a marca do PH”, acrescentou Eduardo Ribeiro.

“Ele vai me fazer muita falta, porque ele tinha o poder de levantar o meu ânimo. Ele era um crente na vida. Ele acreditava na vida e gostava de viver”, afirmou o jornalista Mino Carta, amigo de cinco décadas do apresentador.

Apesar de 15 minutos de homenagens, o público reclamou na internet sobre como tudo aconteceu. O "Domingo Espetacular", por exemplo, foi aberto com os apresentadores sorrindo falando sobre aplicativo de comida, para depois apresentar reportagem sobre os entregadores. Já no encerramento, nenhuma nova citação ou silêncio.

Houve também quem enxergou hipocrisia da emissora, já que afastou Paulo Henrique Amorim da revista eletrônica.

“#DomingoEspetacular A primeira homenagem foi a demissão, agora estão falando bem?! Quanta falsidade”, escreveu um internauta. “Parabéns á Record pela deferências prestadas a Paulo Henrique Amorim no Domingo Espetacular. Mas isso não a redime”, postou outro. “Também fiquei indignado com a abertura do Domingo Espetacular que falta de consideração ao jornalista Paulo Henrique Amorim que atitude péssima do diretor! Todos no sabemos que o PHA deixou sua marca e sucesso do programa ali graças a ele!”, compartilhou um usuário do Twitter.

 

Paulo Henrique Amorim recebeu a notícia do seu afastamento no final de junho. Por defender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e criticar o governo de Jair Bolsonaro, houve enorme pressão nas redes sociais pelos bolsonaristas para que o jornalista fosse afastado do “Domingo Espetacular”.

Nas homenagens prestadas na noite de ontem, o programa não citou o afastamento.

Morte de Paulo Henrique Amorim

O apresentador estava em sua casa, quando sofreu um infarto fulminante. Quem confirmou a morte foi a sua esposa, Geórgia Pinheiro. Ele deixa uma filha.

Paulo Henrique começou sua carreira no jornal A Noite, em 1961. Seu bom desempenho no veículo de comunicação o levou para trabalhar em Nova York, Estados Unidos, como correspondente internacional da revista Realidade e, tempos depois, na editora Abril, mais precisamente na revista Veja.

Sua trajetória na televisão iniciou na TV Manchete, também como correspondente internacional. A desenvoltura do jornalista logo chamou a atenção dos diretores da Globo e ele se transferiu para a emissora da família Marinho, tornando-se um dos principais nomes do jornalismo brasileiro.

Saída da Globo, passagem pela Band e ida para Record

Na década de 1990, decidiu deixar a Globo e foi para a Band, sendo o âncora do “Jornal da Band”. Sua passagem terminou e ele migrou para a TV Cultura. Contudo, foi em 2003 que Paulo Henrique Amorim vestiu uma nova camisa e se tornou a cara do jornalismo de uma emissora: a Record.

Seu primeiro trabalho na nova casa foi o “Jornal da Record”. Logo em seguida, fez parte da equipe que cria a revista eletrônica “Tudo a Ver”, apresentando entre 2004 e 2006, na faixa vespertina.

Homenagens

Ana Hickmann lamentou a morte do jornalista Paulo Henrique Amorim, logo na abertura do programa "Hoje em Dia", da Record, na manhã desta quarta-feira (19), onde lembrou que ele foi seu padrinho na televisão.

“Começamos o dia de uma forma muito triste. A Geórgia perdendo o marido, filha do Paulo, os netos, dando adeus ao pai e ao avô. Adeus ao meu padrinho de televisão. Paulo me trouxe pra cá. Em 2004... A gente está vendo imagens do programa ‘Tudo a Ver’, que eu estava na bancada, semana de estreia, o Paulo me deu a chance de começar minha carreira como colunista e também repórter do ‘Domingo Espetacular’”, contou Ana.

Roberto Cabrini, José Luiz Datena, Luiz Bacci, Patrícia Maldonado e Chris Flores falaram com exclusividade com o NaTelinha e relembraram alguns episódios que estiveram ao lado de Paulo Henrique Amorim.

Ao NaTelinhaDouglas Tavolaro declarou que o apresentador foi quem conseguiu levar credibilidade ao “Domingo Espetacular”, quando ficou responsável pelo comando da revista eletrônica dominical a partir de 2005.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!