Luto

Paulo Henrique Amorim morre aos 76 anos

Jornalista sofreu infarto na madrugada desta quarta-feira (10)

Paulo Henrique Amorim morre aos 76 anos
Paulo Henrique Amorim tinha 77 anos - Foto: Divulgação

Publicado em 10/07/2019 às 08:41:30 ,
atualizado em 11/07/2019 às 15:20:10

Por: Naian Lucas

O jornalista Paulo Henrique Amorim, de 76 anos, morreu nesta quarta-feira (10), no Rio de Janeiro. Ele trabalhou em diversas redações, como da Editora Abril, Globo e Record

O apresentador estava em sua casa, quando sofreu um infarto fulminante. Quem confirmou a morte foi a sua esposa, Geórgia Pinheiro. Ele deixa uma filha.

Paulo Henrique começou sua carreira no jornal A Noite, em 1961. Seu bom desempenho no veículo de comunicação o levou para trabalhar em Nova York, Estados Unidos, como correspondente internacional da revista Realidade e, tempos depois, na editora Abril, mais precisamente na revista Veja.

Sua trajetória na televisão iniciou na TV Manchete, também como correspondente internacional. A desenvoltura do jornalista logo chamou a atenção dos diretores da Globo e ele se transferiu para a emissora da família Marinho, tornando-se um dos principais nomes do jornalismo brasileiro.

Na década de 1990, decidiu deixar a Globo e foi para a Band, sendo o âncora do “Jornal da Band”. Sua passagem terminou e ele migrou para a TV Cultura. Contudo, foi em 2003 que Paulo Henrique Amorim vestiu uma nova camisa e se tornou a cara do jornalismo de uma emissora: a Record.

Seu primeiro trabalho na nova casa foi o “Jornal da Record”. Logo em seguida, fez parte da equipe que cria a revista eletrônica “Tudo a Ver”, apresentando entre 2004 e 2006, na faixa vespertina.

Em fevereiro de 2006, foi deslocado pela direção da emissora do bispo Edir Macedo para comandar o “Domingo Espetacular”. Com 14 anos no vídeo da revista eletrônica, o jornalista ganhou popularidade pelo seu tom sério e, ao mesmo tempo, provocativo, principalmente no seu blog “Conversa Afiada”.

Lá, o apresentador fazia comentários duros contra a Globo e, nos últimos tempos, seu alvo se tornou o presidente Jair Bolsonaro.

Em junho, a direção da Record decidiu afastar Paulo Henrique Amorim do programa, mas sem rescindir seu contrato. Segundo informou a assessoria de imprensa do canal na época, ele seria levado para outro projeto.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!