Reportar erro
Para o streaming

Chuvas e epidemia de gripe empacam série do Star+ com Seu Jorge

Cantor participará de How To Be a Carioca

Seu Jorge de tranças loiras, roupa vermelho e óculos brancos, posando para foto
Seu Jorge está gravando série no Rio de Janeiro - Reprodução/Instagram
Redação NT

Publicado em 16/12/2021 às 14:40:00

O roteiro de How To Be a Carioca, nova série do Star+ que está sendo gravada e tem Seu Jorge no elenco, não previu que alguns imprevistos atrasariam a produção da série. De acordo com a colunista Patrícia Kogut, do jornal O Globo, as chuvas da capital carioca e uma epidemia de gripe estão atrapalhando as gravações da nova aposta do streaming.

Muitas pessoas da equipe tiveram o vírus e, com isso, alguns roteiros precisaram ser alterados. Porém, como o elenco conta com vários estrangeiros, atrasar as gravações se torna complicado.

Na semana passada, Seu Jorge foi fotografado por paparazzi enquanto gravava no Vidigal, comunidade da Zona Sul do Rio. Durante a externa, o cantor contracenou com Swell Ariel Or, atriz israelense que está no Brasil desde novembro, em função da produção.

O projeto está sendo desenvolvido por Carlos Saldanha e é uma comédia que pretende abordar as experiências dos estrangeiros no Rio de Janeiro. A princípio, How To Be a Carioca seria um filme, mas começou a ser pensado como uma série depois que a última produção do cineasta, “Cidade Invisível”, alcançou o sucesso na Netflix.

Marighella estreia no Globoplay; entenda a polêmica sobre o filme

Marighella já está disponível para assinantes do Globoplay. O filme dirigido por Wagner Moura, que tem Seu Jorge no papel principal, já causava polêmica bem antes da estreia, realizada neste ano no Brasil, mesmo finalizado há dois anos. A história é sobre Carlos Marighella (1911-1969), um ex-deputado e guerrilheiro de esquerda que ingressou na luta armada contra a ditadura militar na década de 1960 e acabou morto pela repressão.

Marighella estreou no Festival de Berlim em 2019. Apesar do prestígio internacional, o filme começou a ser criticado no Brasil assim que as notícias sobre a produção chegaram à mídia. Em suma, os principais ataques vinham de defensores do regime militar, com um posicionamento alinhado ao do presidente Jair Bolsonaro. Estes questionavam o tratamento dado ao protagonista, acusado de mortes e atentados durante a ditadura.

Um dos críticos foi o deputado estadual Arthur do Val, conhecido por fazer vídeos políticos no seu canal chamado Mamãe Falei. Ele alertou os seus seguidores a prestarem atenção na mensagem que o filme pretende apresentar. “O Wagner Moura disse que esse filme tem um lado e ele tem o objetivo de influenciar as pessoas”, falou. “Com certeza será uma história que vai fazer o Marighella ser um herói romântico, lutando pela democracia”, acrescentou o youtuber, que classificou o guerrilheiro como “terrorista".

Em setembro de 2019, foi anunciado que a estreia de Marighella no Brasil estava suspensa em função de atritos entre a produtora O2 Filmes e a Agência Nacional do Cinema (Ancine). O caso foi encarado por alguns como censura por parte do órgão ligado a o governo. Na época, o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (PSC), filho do Presidente da República Jair Bolsonaro, comemorou o veto de recursos angariado pela produtora à agência para lançamento do longa.



Participe do nosso grupo e receba as notícias mais quentes do momento.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Participe do grupo
Mais Notícias