Entrevista exclusiva

Ator de Pantanal fez peregrinação por papel: "Treino fazer a vida inteira"

Guito é também músico e toca com Almir Sater em cena


Guito em foto posada
Guito é o capataz Tibério em Pantanal - Foto: João Miguel Júnior
Por Taty Bruzzi

Publicado em 09/03/2022 às 05:21:00,
atualizado em 09/03/2022 às 12:28:27

No próximo dia 28, estreia no horário nobre da Globo a novela Pantanal. Em seu elenco, nomes já consagrados como os de Juliana Paes, Osmar Prado e Dira Paes se juntam a promissores atores como Guito, que interpreta o personagem Tibério, capataz e braço direito de José Leôncio (Marcos Palmeira) na segunda fase da novela. Em conversa exclusiva com o NaTelinha, o ator falou sobre a conquista do papel.

”Eu provoquei o acaso. Não foi um convite diretamente para mim. Essa novela fez parte da minha vida. Esse é um personagem que eu treino fazer a vida inteira", diz, emocionado.

Uma das recordações da infância do artista é de quando sua família se reunia para assistir à versão original do folhetim, escrito por Benedito Ruy Barbosa e exibido na extinta rede Manchete.

Então, quando soube do remake, Guito mandou uma mensagem para o direct de Bruno Luperi perguntando para onde ele enviaria seu teste, porque o texto ele já conhecia muito bem. Como o autor não respondeu, o ator apelou para outros meios.

"Tenho um primo que é filho do ator Oswaldo Loureiro, que fez a primeira versão. Ele me passou o contato da Priscila Lobo, produtora de elenco. E aí começou uma novela (risos).”

Ator de Pantanal fez peregrinação por papel: \"Treino fazer a vida inteira\"

"Eu fiz algumas oficinas de atores em Tiradentes, Minas Gerais. Comecei a mandar texto, teste, vídeo, entrevista, tudo à distância por causa da pandemia. Um ano passou até a Rosane [Quintães], produtora de elenco da novela, ligar e me dar o sinal verde", relata.

Guito se diz muito à vontade como Tibério. "Somos quase a mesma pessoa. No sentido de ser um gerente da fazenda, eu sou agrônomo, vim dessa parte de gestão de fazendas, gestor do setor rural", compara.

"Ele é um apaziguador, um cara experiente, rodado, vivido, morou em vários locais, veio de muito longe, é um peão experiente, tanto na lida com gado, com animais, quanto com as pessoas. Só não lida muito bem com o coração, acaba apanhando muito. Mas espero que no final tudo dê certo" acrescenta.

Já sobre sua relação com o elenco, o ator é só sorriso. "Hoje, eu tenho o privilégio de ter mestres para me ensinar: Marquinho [Marcos Palmeira], Camila [Morgado], Dira [Paes], Osmar [Prado], é incrível estar trabalhando com esse pessoal. Cazarré [Juliano], Loreto [José], todos muito experientes", vibra.

Segundo Guito, a rotina de gravação contribuiu para criar laços com os demais atores. "A dificuldade é a mesma para todos, é desgastante o processo de ir para o set, as fazendas são longe umas das outras, ocorrem muitos imprevistos de tempo, clima", lista.

"Estamos num ambiente selvagem, então tudo pode acontecer. Eu enfrentei dificuldades que eu sabia que iriam acontecer, por isso eu me ancoro neles, isso me tranquiliza."

Ator comemora parceria com Almir Sater em cena

Filho de pais mineiros, a vida rural não chega a ser uma novidade para Guito. "A gente criou cavalo a vida inteira, em Minas é o manga larga, bem presente no hall dos criadores. Eu, meu irmão, meu tio, nós que domamos os cavalos lá. Somos produtores de leite, queijo, iogurte. Isso fez parte da minha infância toda", explica.

No entanto, o ator explica que no Pantanal tudo e diferente por ser um sistema rural brasileiro como era, in natura. Preservado há 100 anos. "Mesmo com o aumento das queimadas, ainda é uma simbiose muito preservada, nem tanto porque o homem quis, mas porque a natureza não quis. É pastagem e floresta, é a vocação desse lugar. Ou o homem respeita isso ou vai bater cabeça", avalia.

Ator de Pantanal fez peregrinação por papel: \"Treino fazer a vida inteira\"

Com uma carreira também musical, o artista revela ter singles lançados em algumas plataformas, e outros aguardando a estreia de Pantanal. É com um sorriso no rosto que ele finaliza nosso bate-papo comentando sobre a parceria em cena com Almir Sater.

"Na novela, toco com Eugênio [Almir Sater] e com o Trindade [Gabriel Sater]. Não conhecia os dois antes. Para mim, é fenomenal frequentar a casa dele [Almir] e poder conversar sobre música. Frequentar a casa dele, tocarmos juntos. Jamais pensei que seria dessa forma", conclui.

Mais Notícias