Salvadora da pátria

Pantanal vira gatilho para Globo preparar super lançamento de novelas

A emissora está apostando todas as suas fichas no remake adaptado por Bruno Luperi


Juliana Paes caracterizada como Maria Marruá na beira de rio posando para foto com expressão séria
Juliana Paes viverá Maria Marruá no remake de Pantanal - João Miguel Júnior/TV Globo
Por Jéssica Alexandrino

Publicado em 11/02/2022 às 07:20:30,
atualizado em 11/02/2022 às 09:54:09

Mesmo antes de estrear, Pantanal já vem sendo considerada a prima rica entre as novelas da Globo. A emissora está apostando todas as suas fichas no remake do sucesso de Benedito Ruy Barbosa e não mede esforços para que as expectativas sejam atendidas. Os investimentos na trama, por exemplo, são muito superiores ao que se costuma gastar em produções contemporâneas do horário das 21h. Todo esse cuidado com a adaptação de Bruno Luperi se deve ao fato de que a nova diretoria do núcleo de Dramaturgia do canal vê em Pantanal chances de recuperar o horário das novelas, já que todas as tramas no ar atualmente estão com ibope abaixo do esperado.

A estreia da novela ainda não tem data definida. Inicialmente, Pantanal chegaria às telinhas da Globo em 11 de março. Porém, depois de sofrer diversos ajustes no roteiro por conta de contratempos, alguns causados por casos de Covid-19 na equipe, foi adiada para o dia 28 do mesmo mês. Agora, porém, ainda não se sabe se a trama estreará realmente no fim de março ou terá um novo adiamento, ficando para abril. Enquanto isso, Um Lugar ao Sol foi esticada e seus capítulos estão mais curtos para que consiga se manter no ar até a chegada da sucessora. Contudo, mesmo sendo bem avaliada pela crítica especializada, a novela de Lícia Manzo derrapa no ibope e, provavelmente, terminará como a pior audiência da história do horário das nove. Até o momento, a trama tem uma média geral de 22,4 pontos, muito abaixo dos 25,5 de Babilônia (2015).

Antes de Um Lugar ao Sol estrear, existia um entendimento de que, por ser inédita e ter a volta de Cauã Reymond, a novela iria deslanchar por si só, mas não foi o que aconteceu. Como já tinha o planejamento de ser uma história mais curta e está toda gravada, a Globo não tem muito o que fazer. Porém, os baixos números não são exclusividade dessa faixa. Quanto Mais Vida, Melhor, registra média de 20 pontos de audiência na Grande São Paulo, o que não é satisfatório para o horário. Salve-se Quem Puder, por exemplo, mesmo dividida em duas partes por conta da pandemia, encerrou com 26,5 de média geral. Já a recém-chegada Além da Ilusão, ainda não empolgou e, nos primeiros dois capítulos, registrou 16,6 e 18,1 pontos, respectivamente.

O NaTelinha apurou que, com a esperança de reverter essa situação, a Globo vai aproveitar a aproximação da estreia de Pantanal para fazer um super relançamento de todas as novelas e salvar seus três horários do baixo Ibope.

A emissora está planejando exibir chamadas das três tramas e fazer ações publicitárias pelo Rio e por outras capitais. Pantanal já está sendo divulgada, Quanto Mais Vida, Melhor passará por uma virada em 26 de fevereiro, quando os quatro protagonistas trocarão de corpos, e Além da Ilusão terá acabado de entrar na segunda fase da história, com Davi (Rafael Vitti) fugindo da cadeia dez anos após ser preso e se apaixonando por Isadora (Larissa Manoela). Tudo fará parte de um pacote de relançamento das suas novelas. 

Descaso da Globo com Um Lugar ao Sol revoltou elenco

Nas três primeiras semanas de exibição, os capítulos de Um Lugar ao Sol foram ao ar em horários diferentes por diversos motivos, como jogos de futebol. Alinne Moraes, intérprete da vilã Bárbara, chegou a reclamar publicamente nas suas redes sociais porque a emissora estava tratando a trama de “qualquer jeito”.

Outro ponto que pode ter resultado no mau desempenho da trama de Lícia Manzo no ibope foram as poucas chamadas que a emissora fez para a novela. Pantanal, que ainda nem estreou, já repercutia mais nos canais e nas plataformas digitais do Grupo do que sua antecessora.

Embora elogiada por especialistas, com o tempo, o desenvolvimento da história levou os telespectadores a rejeitarem o enredo. Um dos motivos criticados é o fato dos personagens “serem complexos demais”, ou seja, é difícil criar empatia e torcer por eles. Outro ponto abordado é a falta de “luz” na novela. A ótica de Um Lugar ao Sol é soturna, sem vida, cheia de conflitos dramáticos, que não traz nenhuma “fuga” cômica em tradicional.

Participe do nosso grupo e receba as notícias mais quentes do momento.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Participe do grupo
Mais Notícias