Reportar erro
Exclusivo

Por onde anda André Arteche, o Julinho de Ti Ti Ti

Ator comenta afastamento das novelas e desafio com personagem gay: "Encarei com seriedade"

À esquerda, André Arteche como Julinho em Ti Ti Ti; à direita, aos 36 anos, em selfie postada no Instagram
"Julinho foi um personagem que trouxe importante contribuição", acredita André Arteche - Foto: Montagem NT
Walter Felix

Publicado em 14/04/2021 às 04:59:00

André Arteche voltou ao ar em março com o seu personagem mais marcante em novelas: o Julinho de Ti Ti Ti, novela exibida entre 2010 e 2011 e atualmente em reprise no Vale a Pena Ver de Novo, na Globo. Foi também um dos últimos papéis do ator na TV: nos anos seguintes, ele se dedicou a um trabalho longe da mídia, mais voltado ao teatro.

Em entrevista exclusiva ao NaTelinha, André Arteche comenta o desafio que foi, há 11 anos, dar vida a um cabeleireiro homossexual sem cair no estereótipo. "Encarei com seriedade o personagem. Entendi que deveria atuar com sensibilidade e muita verdade. Acho que fomos por um bom caminho", avalia.

No início da novela escrita por Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari com direção de Jorge Fernando, Julinho tem um relacionamento feliz com Osmar (Gustavo Leão), que morre em um acidente de carro – um dos pontos de partida da história. No decorrer da trama, o rapaz se apaixona por Thales (Armando Babaioff), um surfista com dificuldades em aceitar a própria sexualidade.

"A televisão cumpre um papel importante ao alertar sobre preconceitos de uma maneira lúdica", avalia André Arteche

Ti Ti Ti foi elogiada durante sua primeira exibição pela representatividade alcançada com os personagens homossexuais. Poucas vezes os romances entre dois homens tiveram tanto espaço na teledramaturgia. Ainda assim, o primeiro beijo gay em novelas da Globo só foi ao ar quatro anos depois, em Amor à Vida (2014).

Para André Arteche, Ti Ti Ti foi um marco na abordagem do tema. "A televisão cumpre um papel importante ao alertar sobre preconceitos de uma maneira lúdica, através das novelas. Julinho foi um personagem que trouxe importante contribuição", acredita o ator. Contrariando precedentes, o papel conquistou o público e teve importância ascendente na história.

A boa receptividade é sentida novamente pelo intérprete, 11 anos depois. "Parece que a repercussão [da reprise] é maior, devido às redes sociais. No momento, não podemos circular muito nas ruas, mas o público chega por meio da internet. Tenho recebido muitas mensagens positivas. Também vejo sempre que posso. Adoro a novela e todo o elenco."

"Faço TV sempre que aparece uma oportunidade interessante", diz ator, afastado das novelas há quase uma década

Após o sucesso em Ti Ti Ti, André se afastou das novelas. "Faço TV sempre que aparece uma oportunidade interessante. Depois de Ti Ti Ti, fiz Lado a Lado (2012), outro trabalho incrível, e Rua do Sobe e Desce (2020), série do Luiz Carlos Lacerda. Mas realmente estou bastante voltado para alguns projetos meus, escrevendo e também dirigindo", explica.

Antes da trama das 19h, ele também havia feito Desejo Proibido (2007) e Caminho das Índias (2009). Aos 36 anos, o artista afirma que gostaria de voltar às novelas. "Se pintar uma oportunidade legal, claro que sim. A televisão sempre me proporcionou grandes personagens, com alcance junto ao público."

Em meio à pandemia, André tem promovido diversas ações em seu perfil no Instagram, @artecheandre. No ano passado, ele comandou encontros virtuais para arrecadar fundos para o Retiro dos Artistas. As lives seguiram em seus planos: na próxima sexta-feira (16), o bate-papo é com a atriz Kelzy Ecard.

O virtual também passou a ser o espaço para tocar os projetos artísticos. "Estou com trabalhos online, algo que nunca imaginei. Nesse ponto, está sendo uma descoberta. Também estou preparando os trabalhos para assim que voltarmos ao presencial, no teatro e no audiovisual", revela.



Mais Notícias