Reportar erro
Exclusivo

Autora de Rebelde Brasil faria revival: “Talvez colocasse sexo, se me deixassem”

Margareth Boury elogia o elenco de Rebelde Brasil e relembra bastidores da produção

Elenco da banda Rebelde Brasil sorri e posa para fotos
A banda Rebelde Brasil completa 10 anos em março - Foto: Reprodução/Instagram
Naian Lucas

Publicado em 13/01/2021 às 07:30:00

Em 2010, a Record anunciou que faria o remake de Rebelde, em parceria com a Televisa, e Margareth Boury ficou responsável pela versão brasileira da novela teen. A produção estreou em março de 2011 e a autora seguiu no projeto até outubro de 2012, escrevendo 410 capítulos. A autora relembra com carinho o período que trabalho no folhetim e não esconde sua admiração pelos atores que protagonizaram a trama, além de confessar que aceitaria escrever um revival para contar a fase adulta dos personagens centrais.

“Imagina eles mais velhos, cuidando da carreira, de filhos. Ia ser muito divertido”, afirma em entrevista exclusiva ao NaTelinha, que iniciou neste mês de janeiro uma série de reportagens sobre os 10 anos da estreia de Rebelde Brasil. Com uma legião de fãs, Margareth ressalta que a história é lembrada até hoje pelo público.

Só que a autora também aponta problemas que aconteceram ao longo da jornada da novela. Um defeito apontado por ela acabou sendo a troca de horários promovidos pela Record. Isso teria sido um dos motivos para que o folhetim tivesse audiência abaixo da expectativa da emissora.

“Eu acho que a Record errou quando trocava a novela de horário e isso deixava o público descontente. Mas no começo, quando entrava certinho no ar, foi muito bem de ibope”, relembra. Só que, mesmo não tendo o mesmo índice no Ibope que a versão mexicana, o programa conseguiu ter muitos fãs.

“Rebelde BR lançou moda entre adolescentes, a Marianna Baffa (figurinista) fez um trabalho primoroso na construção dos seis (e de todo o elenco). Muitas meninas adoravam o jeito de vestir da Roberta e outras da Alice. Chay sempre brilhou. Estrela. Muitos? Diria que todos, cada um no seu quadrado estão por aí trabalhando. Acho que a nostalgia vem exatamente porque a novela agradou muito e continua a agradar até hoje – meu Instagram tem muitos, muitos fãs de Rebelde”, explica.

Um dos trabalhos para que Rebelde Brasil saísse do papel foi a adaptação da história e personagens com a realidade do público jovem brasileiro. Boury revela que os atores jovens tiveram papel fundamental para que ela pudesse realizar o seu trabalho.

“Na minha opinião, colocar personagens com os quais o público da novela pudesse se identificar. Pudesse torcer por eles. Fiquei convivendo com os protagonistas durante toda a novela. Eles me traziam, sem querer mesmo, muito material jovem”, conta.

Na época em que escreveu, Margareth não teve autorização da Record para escrever cenas de sexo. Caso recebesse o aval para refazer a trama, ela pensaria em incluir momentos quentes entre os personagens. “Talvez colocasse sexo na novela, se me deixassem – eu não pude colocar lá atrás. E isso o público me cobrou muito”, destaca.

Elenco de Rebelde

Mesmo quase dez anos depois do fim da novela, Margareth continua em contato com quase todos os atores protagonistas do enredo. Ela se mostra satisfeita no lugar que cada um chegou depois que terminaram seus trabalhos em Rebelde Brasil e deixa claro que não faria nenhuma alteração do elenco.

“Chay [Suede] é protagonista na Globo. Lua [Blanco] segue cantando e vamos fazer um trabalho juntas daqui a pouco. Micael [Borges] também canta, faz filmes (fez dois pra Netflix ano passado) e também está na Web Série que estamos fazendo. Mel [Fronckowiak] fez programas viajando mundo afora (era a praia dela, sempre quis se apresentadora), casou, teve filha. Nosso menino Arthur [Aguiar] cresceu. Fez muitos trabalhos e Sophia [Abrahão] é nossa princesa, está bombando na internet. Não, não mudaria nada no elenco principal de Rebelde”, afirma.

Boury gostou tanto de trabalhar com os atores, que agora está desenvolvendo um projeto com alguns integrantes e com o diretor do folhetim. “Estou escrevendo uma web série que vai ter o Mika e a Lua e a direção é do Ivan Zettel”, relata. 

Margareth Boury colaborou em quatro novelas de Carlos Lombardi e ela adquiriu muito conhecimento ao trabalhar ao lado do autor. Em Rebelde Brasil, a autora usou a sua experiência em produções da Globo, como observar cada movimentação nos bastidores da trama.

“Lombardi tem um lugar especial na minha vida. Sempre. Me ensinou a fazer um herói. E fiz, com o Pedro e a Roberta. Com ele também aprendi que se o autor não fica de olho na novela, ela pode sair dos eixos. Confesso que ml Rebelde me meti em tudo: de figurino à edição. E conversei muito com o Ivan Zettel (outro parceiro que a vida me trouxe)”, finaliza.

Confira um trecho do show de despedida da banda Rebelde Brasil:

Mais Notícias