Reportar erro
Desabafo

Filha de Caroline Bittencourt relembra morte trágica da mãe: "Difícil digerir"

Jovem comentou sobre o assunto em rede social

Isabelle e Caroline Bittencourt
Isabelle e Caroline Bittencourt - Foto: Montagem/Reprodução
Redação NT

Publicado em 26/04/2021 às 18:30:39

Isabelle Bittencourt, filha de Carol Bittencourt, comentou sobre o acidente trágico envolvendo a mãe. A modelo faleceu em 28 de abril de 2019, aos 37 anos, após cair de uma lancha durante um passeio.

Para começar, ela fala sobre os diversos questionamentos feitos em torno de como ela lidou com toda a situação, e foi pensando em ajudar pessoas que passaram por algo semelhante, que resolveu escrever.  "Para mim, foi muito difícil digerir. No primeiro instante, meu instinto foi abraçar todo mundo que estava em volta. Minha avó que estava mal, meu avô e meu padrasto. Eu queria abraçar todas essas pessoas e trazer para perto", disse.

Com isso, começou a listar algumas fases que passou durante o luto. "Tomei o papel de quem cuida e não de quem é cuidada. Naquele momento, eu precisava ser cuidada. Acabei tomando esse papel porque eu queria. Só que eu não tinha noção de como isso poderia me prejudicar futuramente", seguiu.

"Minha segunda fase foi de rebeldia. Virei a típica adolescente rebelde. Deixei de acreditar em tudo. A primeira coisa que questionei e deixei de acreditar foi Deus. Para mim, não era possível Deus ter deixado aquilo acontecer comigo", continuou.

Depois, comentou que acabou se afastando da religião, o desânimo para coisas da rotina. "Para mim, isso [a morte] era uma forma de me castigar e castigar a minha mãe. Eu achava muito injusto. Naquele momento, eu parei de acreditar em Deus e fui me perdendo (...). Eu não entendia por que a gente tinha que ter relações interpessoais. Não entendia por que eu tinha que conviver com a minha família e amigos. Por que eu tinha que ir para a faculdade, escola e trabalhar? Qual o objetivo disso tudo?", questionou.

"Nada mais fazia sentido. Se o mundo estava um caos, e a minha vida estava um caos, porque eu tinha que estudar? Ir para a faculdade? Trabalhar e fazer família? Entrei em uma fase de muito desespero. E foi aí que meu pai [Giba Ruiz Vieira] falou uma frase, que levo até hoje, e isso me deu o gatilho de procurar ajuda", relatou.

Com isso, ela então revelou a conversa que teve com o pai, que foi primordial para que ela conseguisse seguir em frente. "Ele falou: 'Você não precisa acreditar em Deus, em Alá ou nesses nomes que as religiões dão. Mas você precisa ter fé. Se você tiver fé de que existe uma força maior, tudo vai fazer sentido'. Quando meu pai falou isso, (...) de que eu tinha que ter fé e acreditar em força maior, passei a falar: 'Tenho que me cuidar'. Fui atrás de psicólogos, psiquiatras e, na sequência, uma ajuda espiritual. Posso dizer que a ajuda espiritual foi importante porque tive crescimento pessoal, não só no meu amadurecimento, mas na questão de ver a vida de outra maneira", contou.

Filha fala sobre morte de Carol Bittencourt

Daí em diante, começou a falar sobre o momento que entendeu e aceitou mais o que tinha acontecido. "Passei a entender que a minha mãe não tinha ido embora. Ela estava em outro plano. Um plano onde as pessoas evoluídas estavam, ou seja, aquilo não tinha sido um castigo. Tinha sido uma coisa boa, porque ela já tinha vivido tudo aqui neste mundo. Ela já tinha aprendido tudo que tinha para aprender. Já tinha feito as missões dela", disse.

"Ela estava pronta para esse outro campo espiritual. A partir desse momento, a minha vida ficou mais leve. Comecei a ler livros que tratavam dessa espiritualidade. Para mim, fez total sentido, porque quando lembro da minha mãe, lembro de uma pessoa feliz e que tinha muita luz. Quem a conheceu teve a possibilidade de presenciar essa luz e esse carisma", seguiu.

A jovem lembrou o quanto Carol foi bem sucedida e soube aproveitar o tempo por aqui. "Ela viveu tudo que tinha para viver. Ela viajou, casou, o que era o sonho dela, teve uma filha e muito sucesso. Ela teve uma carreira linda, por mais que estivesse acabando a faculdade. Creio que tudo isso são fatores que mostram que ela terminou a missão dela aqui, que estava evoluída espiritualmente e conseguiu ir para um plano superior", refletiu.

Ela encerrou ainda dizendo que hoje se sente confortável, e que sabe que um dia poderá se reencontrar com a mãe. "Isso me conforta. Me conforta saber que não é só isso aqui. Não é possível que o universo, que Deus tenha feito só isso. Isso aqui é um grande campo de aprendizado, para o qual viemos para evoluir, acreditar e crescer. Acho que ela já tinha terminado a missão dela. Sei que vou reencontrá-la quando eu for evoluída o suficiente", disse.

Vale lembrar que a morte precoce da modelo repercutiu muito. Alguns famosos deixaram mensagens lamentando, e ainda de conforto para a família e amigos.

Mais Notícias
Outros Famosos