Reportar erro
Autobiografia

As confissões de Xuxa: De Abuso na Kombi a premonição sobre a morte de Senna

Apresentadora falou das suas memórias em seu livro

Xuxa Meneghel bem seria em pose fotográfica
Xuxa lançou sua biografia - Foto: Reprodução
Redação NT

Publicado em 27/09/2020 às 06:27:00

Xuxa Meneghel lançou sua autobiografia intitulada de Memórias e fez grandes revelações desde a sua infância até sua vida profissional. A apresentadora relembrou o abuso sexual que sofreu de um professor de matemática, da rejeição que sofreu de Pelé por ainda ser virgem e qual sua reação no dia em que Ayrton Senna (1960-1994), seu ex-namorado, sofreu o acidente em Ímola, na Itália.

Logo no início do livro, a rainha dos baixinhos explicou como foi sua infância e sua paixão por aulas de matemática. Contudo, tudo mudou com a mudança de um professor, que passou a abusar dela sexualmente. “Certo dia, me chamou depois da aula e, mesmo na frente da minha amiga Yara, disse que queria me deixar só de calcinha e colocar nas minhas coxas”, contou.

“Cheguei em casa e, na hora do jantar, perguntei à minha irmã Mara o que era colocar nas coxas. Ela ficou furiosa e, sem me explicar o que era, quis apenas saber quem tinha me falado aquilo. Eu tremi de pavor. A sensação de medo e culpa que permeou todos esses abusos me pegou fortemente. Mas não consegue me segurar, contei que tinha sido o professor. Fiquei tão traumatizada na época que passei de primeira aluna em matemática para última”, detalhou.

E essa não foi a única vez que a apresentadora foi abusada na infância. Aos cinco anos, garotos mais velhos costumavam a fazer maldades contra ela em uma kombi. “Nós, crianças, íamos atrás. Eu tinha cinco ou seis anos e os mais velhos já eram pré-adolescentes, primos de segundo grau e amigos muito próximos da família. Tocavam em mim, colocavam o dedo em mim, doía, não sabia distinguir o que sentia, por isso não chorava nem reclamava com ninguém sobre o acontecido. Tinha medo, me sentia culpada. E ficava quieta”, relatou.

Xuxa confessou que não entendeu o motivo de ter sido alvo dos abusos de homens mais velhos. “Por que eu fui a escolhida? Não sei. Nós, vítimas, não queremos falar sobre o assunto. Acho que aprendemos que sempre existe um culpado”, completou.

 

Pelé

Em 1981, Pelé assumiu seu relacionamento com Xuxa e surpreendeu o mundo. O maior jogador de futebol ao lado de uma modelo promissora. Até então, ela ainda nem era apresentadora. Mas antes de começarem a namorar, a rainha dos baixinhos foi rejeitada pelo craque por um motivo: sua virgindade.

No livro, a comunicadora relatou que o conheceu durante uma sessão de fotos e o interesse amoroso estava caminhando bem, contudo, quando Pelé soube que ela era virgem, decidiu na ocasião não seguir em frente. “Ele disse que não queria ter a responsabilidade de ser o meu primeiro homem”, disse.

Sem continuar o flerte, Xuxa teve um breve romance com um garoto e perdeu a virgindade em um carro. “Um pouco mais tarde, eu e Pelé começamos a namorar. Foi o primeiro homem mesmo”, explicou. O namoro entre ela e o rei do futebol durou até 1986.

Cantada

Numa das histórias contadas por Xuxa, ela revelou que recebeu uma foto de um jovem ator sem camisa, quando estava iniciando seu romance com Junno Andrade. A apresentadora cortou logo no início o flerte.

“Outro artista, bem mais novo, também havia pedido meu telefone com a desculpa de que queria dicas para abrir uma fundação. Mas, pasme, ele começou a me cantar. Mandou até foto sem camisa. O cara tinha seus 20 e poucos anos. E eu, quase 50. 'Escuta, tia Xuxa não fica com quem foi baixinho dela. Não vou ficar com um cara da sua idade', deixei bem claro", afirmou a artista em um trecho da sua autobiografia.

Foi a partir daí que ela decidiu ligar para Junno Andrade, seu atual namorado. “Então, algo me fazia pensar no Ju. No carinho, na gentileza do programa. E eu ainda ficava matutando: ele não vai ser tão bobo e jogar essas cantadas imaturas do ex-baixinho que ficou me procurando. O Ju tinha sido tão legal, disse que eu fazia parte de momentos bacanas da vida dele. Liguei”, contou.

Primeira tentativa de ser vegana

Xuxa é assumidamente vegana e tem feito forte campanha nas redes sociais para que as pessoas evitem comer carne. Contudo, o que poucos sabem, que sua paixão pelos bichos a fez pensar em parar de se alimentar de produtos de origem animal ainda na infância.

“Quando tinha onze anos, lembro de ter resolvido parar com a carne vermelha. Mas minha mãe, na melhor das intenções e por não ter as informações de que dispomos hoje, me obrigava a comer bife de fígado uma vez por semana. Lembro que pedia para deixá-lo torrado, para que eu não visse o sangue nem sentisse o gosto. Era tão duro que eu quase quebrava os dentes”, relatou.

“Depois de penar muito, aos treze anos abandonei de vez a carne vermelha. Depois, o frango. Mais tarde, o ovo, pois um dia achei um quase pintinho na frigideira. Segui com leite e queijo sem lactose e, uma vez por semana, peixe. Afinal, diziam que a tal proteína animal era necessária. Mas isso não duraria. Eu não podia machucar um bicho. E, mais para a frente, eu me tornaria, orgulhosamente, vegana”, completou.

Ayrton Senna

Um dos momentos mais tristes da vida de Xuxa foi a morte de Ayrton Senna. Ela o namorou entre 1988 e 1991. No dia em que o piloto faleceu, ela garantiu que sentiu algo diferente, uma espécie de premonição.

“Chegando ao sítio dela (a diretora Marlene Mattos), tinha uma fogueira. Me sentei em frente e fiquei olhando para o fogo, sentindo uma angústia, algo estranho. (...) (na manhã seguinte) cheguei à sala, todos os amigos mudos, olhando para a TV. Cheguei e tive a nítida sensação de tê-lo visto na porta. E falei: 'ele já foi embora'”, lamentou.

Essa premonição não ocorreu apenas na morte do atleta, mas também quando eles namoravam. A apresentadora narrou nas páginas do livro que os dois tinham uma troca de energia diferente e por isso eram felizes.

“Se eu pensava muito nele, por exemplo, ele sentia e me procurava. Uma vez, apostei com uma figurinista que se eu pensasse nele, ele ligaria. 'Ah, duvido! Então faz isso. E já atende o telefone falando o nome dele, se tocar'. O telefone tocou. E eu: Beco!". "Havia o fato de que eu tinha algumas premonições em relação a ele. Eu cheguei a acertar quando ele venceria corridas, quando iria ter problemas. Ele sempre me ligava para saber qual era a minha sensação”, com

Mais Notícias
Outros Famosos