Reportar erro
Vem aí

Xuxa comenta livro infantil LGBT: "Única linguagem que Deus entende é a do amor"

Além de publicação para crianças, a Rainha dos Baixinhos lança autobiografia em breve

Xuxa comentou livro infantil LGBT e autobiografia que pretende lançar em breve
"Não sou de esquerda, direita ou centrão", afirmou Xuxa - Foto: Reprodução/Instagram
Redação NT

Publicado em 16/08/2020 às 14:40:00

Xuxa Meneghel causou polêmica, recentemente, ao revelar que está escrevendo um livro para crianças com abordagem LGBT. A informação lhe rendeu críticas por parte dos mais conservadores, que repudiaram a proposta. A eterna Rainha dos Baixinhos falou sobre o assunto em entrevista publicada neste domingo (16).

"Vou falar de uma criança que quer tanto ser amada que Deus lhe dá duas mães. Acredito que a única linguagem que Deus entende é a do amor e, se as pessoas me criticarem por isso, é porque o Deus delas não é amor. O meu não é preconceituoso, não tem cor, tamanho, sexo ou conta bancária", disse Xuxa ao jornalista Leonardo Ribeiro, do jornal Extra.

A loira frisou que não sente receio em relação à recepção da obra, especialmente diante de argumentos religiosos. "O mais lindo mandamento diz: 'Amai o próximo como a ti mesmo'. Não é 'amai o próximo de outro sexo'", destacou a apresentadora.

Sobre a pandemia do coronavírus, Xuxa se disse desesperada "pelas vidas que estão se perdendo, pelos seus familiares, pelas pessoas que parecem não acreditar nisso tudo". Ela ainda destacou que o Brasil vive uma "guerra política" e uma de suas maiores crises.

"Não precisávamos de homofóbicos, racistas, machistas nas ruas. Nem ver tanta roubalheira. Não precisávamos passar por tudo isso assim. Não sou de esquerda, direita, ou centrão. Sou uma brasileira que tem medo das pessoas armadas e loucas que estão por aí", avaliou.

"Me cobro por ter acreditado muito nos outros", conta Xuxa

Em meio à quarentena, Xuxa também se dedica ao livro Memórias, que chega às livrarias em breve, perpassando toda a trajetória da famosa. Ainda na entrevista ao Extra, a apresentadora da Record TV avaliou que não tem o costume de revisitar o passado.

"Quando olho para o passado, vejo coisas incríveis e algumas truncadas: pessoas que me enganaram, usaram, roubaram e, às vezes, mexer nisso dói. Foram muitas. Me cobro por ter acreditado muito nos outros. E parece que não aprendo", disse.

Xuxa ainda sinalizou que trechos da sua vida pessoal não devem ficar de fora da autobiografia. Nas décadas de 1980 e 1990, a loira namorou famosos como Pelé e Ayrton Senna. "O nascimento da Sasha, histórias com minha mãe, minha infância... Amores passados passaram. O mais importante é o que vivo hoje. Mas, sim, terão as linhas, porque fizeram parte da minha história", adiantou.

Mais Notícias
Outros Famosos