Thiago Forato
Reportar erro
Enfoque NT

Record TV desperdiça talentos de apresentadores com formatos

Gugu, Xuxa e Marcos Mion deixaram de ter seus auditórios para apresentarem formatos importados

guguxuxamion_919fa00fa8bd7ac79cfb74a977ffc0f0d2c0023a.jpeg
Gugu, Xuxa e Marcos Mion: apresentadores deram adeus aos programas de auditórios tradicionais - Fotos: Divulgação/Record TV
Thiago Forato

Publicado em 08/09/2018 às 08:30:47

Ao longo dos últimos meses, a Record TV optou por terminar com os programas de auditório de alguns de seus apresentadores, tais como Gugu LiberatoXuxa, e Marcos Mion.

Seja por questões financeiras ou de audiência, a emissora começou a introduzir um outro tipo de modelo em sua grade de programação, fazendo com que algumas de suas estrelas abandonassem tradicionais programas de auditório e passassem a apresentar formatos importados.

Gugu Liberato

Record TV desperdiça talentos de apresentadores com formatos

Contratado a peso de ouro em 2009 com um salário de R$ 3 milhões mensais, Gugu Liberato rescindiu com a Record TV em 2013. Seus baixos índices de audiência aos domingos e a redução de investimentos em seu dominical culminaram no término de contrato. Originalmente, ele venceria no ano passado.

De volta em 2015, Gugu deu as caras três vezes por semana (terças, quartas e quintas-feiras) e entre 2016 e 2017, ficou somente às quartas-feiras contra o futebol da Globo e Ratinho no SBT, seus principais concorrentes.

Comunicador talentoso e tido como sucessor de Silvio Santos por anos a fio, Gugu salvou o "Power Couple Brasil" do marasmo em 2018 e deu charme ao formato do "Canta Comigo", mas sua destreza pouco pode ser explorada em algo mais aberto, como foi em toda sua carreira.

Xuxa Meneghel

Record TV desperdiça talentos de apresentadores com formatos

Esse talvez seja o único caso que realmente não há jeito. Contratada em 2015 após quase 30 anos na Globo, Xuxa estreou na Record TV em agosto do mesmo ano com a promessa de fazer um programa do seu jeito.

O dia escolhido foi às segundas-feiras, e logo o "jeito dela" foi perdendo força. A primeira delas foi a troca do ao vivo pelo gravado. Resultado de uma verba enxuta para fazer um programa daquele tamanho.

Em 2016, nem Ignácio Coqueiro dirigindo o "Xuxa Meneghel" conseguiu dar jeito. Em recente entrevista ao NaTelinha, ele declarou que "era mais fácil abrir o mar vermelho do que dar audiência na Xuxa".

Dinheiro não é tudo. A própria Xuxa vinha encontrando dificuldades em emplacar no Ibope há muito tempo na Globo. Era líder porque estava lá e a concorrência, convenhamos, não era tão feroz como em outros tempos, como quando perdia para o SBT com o "Planeta Xuxa" no início dos anos 2000 nas tardes de domingo.

Embora tente se soltar, um formato como o "Dancing Brasil" ainda é muito pouco para ela.

Marcos Mion

Record TV desperdiça talentos de apresentadores com formatos

O caso a ser estudado é o de Marcos Mion. Na Record TV desde o final de 2009, montou o "Legendários" em abril de 2010 cuja identidade era muita confusa.

Mas, ao longo do tempo, conseguiu se acertar e manter uma respeitável audiência nas noites de sábado. Se transformou em um grande programa de variedades.

Com audiência fiel e batendo a Globo esporadicamente, a Record TV resolveu mexer, colocando o "Programa da Sabrina" em seu horário e migrando o "Legendários" para as noites de sexta-feira, onde comercialmente é muito mais difícil de se vender um produto. Não à toa, o SBT exibe filmes no horário há 21 anos e até a Globo abre espaço para enlatados e atualmente transmite a série "Máquina Mortífera".

O "Legendários" saiu da grade de programação da emissora no final do ano passado.

Depois de uma experiência no reality "A Casa" em 2017, Mion se prepara para estrear em "A Fazenda" no próximo dia 18.

Tendência?

Para esses três apresentadores, não há perspectivas de voltar às "raízes". Talentos natos, conduzem bem seus respectivos programas, mas, de certa forma, acabam engessados pelo novo modelo que a Record TV impõe.

Nem todos foram "vítimas" de apresentar shows prontos. Sabrina Sato segue apresentando seu programa de variedades, até porque, talvez não tenha tanta capacidade de comandar algo mais complexo.

Rodrigo Faro, por exemplo, não tem porque abandonar seu dominical, que tem um grande faturamento e audiência, e Geraldo Luís, que também vem bem aos domingos, certamente não se adaptaria.

Mais Notícias