Reportar erro
Colunas

Boa direção, visual e texto menos teatral: a estreia de "Verdades Secretas"

A coluna "Enfoque NT" analisa a estreia da nova novela das 23h da Globo

camilaqueiroz-verdadessecretas.jpg
Divulgação/TV Globo
Thiago Forato

Publicado em 08/06/2015 às 23:32:54

A Globo estreou nesta segunda (08) sua nova novela das 23h, “Verdades Secretas”, com autoria de Walcyr Carrasco.
 
Um ano e meio após o término de “Amor à Vida”, Walcyr retorna às novelas num cenário bastante difícil para a Globo, que capenga no horário das 21h com “Babilônia” e isso pode dificultar o possível sucesso de seu novo folhetim.
 
A começar pela abertura, “Verdades Secretas” mostra requinte e um padrão diferente das outras telenovelas, principalmente globais, com os créditos sendo exibidos no princípio da trama. As passagens do intervalo também seguem essa tendência e não há o famoso “estamos apresentando”, que foi trocado por algo mais contemporâneo, utilizando cenas da própria novela “congelando”, mudando a tonalidade. 
 
O texto de Walcyr está claramente diferente e mais rebuscado. Antes mais teatral e em algumas ocasiões utilizando do pastelão, apenas o telespectador mais atento consegue perceber alguma semelhança com outros sucessos do autor como “Amor à Vida”, “Alma Gêmea” ou “Chocolate com Pimenta”, até porque a faixa horária é outra, e Carrasco já mostrou saber o que escrever, e como escreve para aquele público. Recentemente, ele foi autor do remake de “Gabriela” (2012).
 
 
A atuação de Rainer Cadete, o booker Visky, foi um dos pontos altos da estreia. Na pele de um homossexual afetado com trejeitos e vocabulário afeminados, o ator roubou a cena, e promete ser uma válvula de escape importante dentro da história, mesmo com um papel de caráter duvidoso.
 
Marieta Severo, de volta as novelas após 15 anos, em nada lembra Nenê de “A Grande Família”, aonde dedicou 14 anos de sua carreira. Na pele de Fanny, Severo tem o tom certo para aquilo que o papel exige, que é sofisticação, elegância e garbo. Sob medida.
 
A estreante Camila Queiroz também foi segura e realmente pareceu realizar um sonho quando Fanny e Visky disseram que ela tinha vocação para a profissão de modelo. Verossímil. Certamente ainda haverá evolução.
 
[galeria]
Ritmo
 
A estreia teve um ritmo mais lento que as outras novelas de Walcyr Carrasco. Isso não garante que continuará sendo assim, embora seja compreensível. A narrativa de “Verdades Secretas” é completamente diferente daquilo que ele fez no horário das 18h, 19h e mais recentemente, às 21h.
 
As histórias são outras, a proposta é outra, e o universo, idem. Embora alguns possam se queixar de uma certa “lentidão” no primeiro capítulo, foi necessário uma apresentação convincente dos personagens, e foi o que houve.
 
A direção é outro ponto a ser destacado, principalmente na cena de sexo protagonizada por Rodrigo Lombardi e Alessandra Ambrósio. Tudo muito correto, nada fora do contexto ou gratuito, com teor bastante sensual, explorando as curvas da atriz - do ator também - sem mostrar de forma demasiada.
 
 
Audiência
 
“Verdades Secretas” não pode fazer milagre. Com “Babilônia” marcando índices inferiores a 30 pontos, esse não será um termômetro determinante para julgar que ela seja um sucesso. Sobretudo em outros dias, quando sucederá outros produtos da linha de shows.
 
Na estreia, a trama teve 21,5 pontos com picos de 26. Na segunda-feira passada (01), com a "Tela Quente" exibindo o filme "O Vingador do Futuro", a emissora conquistou 19 pontos.
 
Thiago Forato é jornalista, escreve sobre televisão há dez anos e assina a coluna Enfoque NT há quatro, além de matérias e reportagens especiais no NaTelinha. Converse com ele: thiagoforato@natelinha.com.br  |  Twitter e Instagram: @tforatto
 
Mais Notícias