Reportar erro
Colunas

Território da TV: Globo homenageia José Wilker e reverencia sua trajetória

9a388dbc990a572fdeaf73cedb9065fa.jpg
Divulgação/TV Globo
Redação NT

Publicado em 06/04/2014 às 19:49:00

O maior canal do país não homenageia a trajetória de um dos atores mais notáveis que passaram pela sua tela somente depois da notícia da sua morte.

Na última quarta-feira (02), o "Vídeo Show" recebeu José Wilker como convidado. No palco ao lado de Zeca Camargo, Wilker relembrou seus personagens épicos, como o Roque Santeiro. E foi ao som da trilha da novela que ele deixou seu autógrafo, que agora certamente ocupará lugar emblemático, na calçada da fama do programa.

Uma justa homenagem e digna da relevância do ator. Pena que seu último papel na televisão não teve a mesma dimensão. O Herbert de "Amor à Vida" foi um dos tantos figurantes de luxo em meio ao grande elenco da trama das 21h.

Mas esse foi um raro revés de uma carreira consagrada. Wilker jamais viveu com base nos louros do passado, mas sempre olhando para o futuro. Fez personagens lendários também na última década, como o “felomenal” Giovanni Improtta de "Senhora do Destino" e eternizou o “vou lhe usar” na versão mais recente de "abriela", sendo que coube a ele ser o protagonista Mundinho Falcão.

O tempo rugiu e a Sapucaí foi grande para Wilker, que acumulou também participações no cinema, como em "Bye Bye Brasil". Tomou tanto gosto pela sétima arte que virou especialista e comentava as transmissões do "Oscar" na Globo ao lado de Maria Beltrão. A apresentadora do "Estúdio i" se somou a Paulo Betti, Malu Mader, Antônio Calloni e outros nomes que entraram ao vivo na "Globo News", canal que ficou direto por cerca de três horas repercutindo a notícia, que veio enquanto a Globo transmitia partida da Superliga de vôlei, deixando assim a notícia a cargo do narrador Luiz Carlos Júnior, que depois foi complementado por boletim do "Jornal Hoje" sob o comando de Rodrigo Bocardi.


Mas o canal reservou a maior parte das homenagens para o "Jornal Nacional", que emendou seus 12 minutos iniciais com a trajetória do ator e o impacto de seu falecimento, inclusive mostrando o restaurante em que ele jantou na sexta à noite normalmente.

“O Brasil perde um de seus maiores atores” foi a fala de Carla Vilhena na abertura da escalada. E o desenrolar da edição demonstrou isso. As vinhetas de ida para o intervalo comercial foram substituídas por cenas marcantes de Wilker. Mudança similar havia sido feita nos últimos anos somente após a morte do arquiteto Oscar Niemeyer.

No encerramento, as imagens da redação foram trocadas por outras cenas. Sem “boa noite”, Carla e Evaristo Costa confirmaram que o filme da "Tela Quente" de segunda passa a ser o inédito "Giovanni Improtta", não mais "Os Mercenários 2".

Foi confirmada ainda a exibição de uma série especial sobre Ayrton Senna no "Esporte Espetacular", que estreou na manhã deste domingo (06). Narradas por Wilker, as matérias pretendem celebrar a memória do piloto 20 anos depois do trágico acidente que o matou. A manutenção da voz do ator no trabalho agora também o celebra.
 

No NaTelinha, o colunista Lucas Félix irá mostrar um panorama desse surpreendente território que é a TV brasileira.

Ele também edita o https://territoriodeideias.blogspot.com.br e está no Twitter (@lucasfelix)

Mais Notícias