Crime

Repórter acusa seguranças de Bolsonaro de agressão e mata-leão na Bahia

Agressão aconteceu durante cobertura da presença do presidente no Estado


Momento em que Bolsonaro é cercado por seguranças e jornalistas na Bahia
Equipe de seguranças de Bolsonaro é acusada de agredir repórter na Bahia - Foto: Divulgação

A equipe de seguranças de Jair Bolsonaro está sendo acusada de ter agredido uma equipe de TV durante a passagem da comitiva pela Bahia neste domingo (12), por conta das enchentes que acometeram o estado e que deixaram centenas de pessoas desabrigadas. A repórter Camila Marinho, da TV Bahia, teria recebido um mata-leão de um dos seguranças indicados para garantir a integridade física do presidente.

Segundo informou a GloboNews, um grupo de seguranças foi convocado para formar um paredão no momento em que Bolsonaro descia, num estádio de futebol, após ter sobrevoado as áreas alagadas da região. A ideia seria para impedir a aproximação de diversas equipes de reportagens, que já estavam no local buscando uma entrevista ou alguma declaração oficial do presidente.

Teria sido neste momento que a repórter Camila Marinho tentou uma declaração de Bolsonaro e esticou seu braço com o microfone, mas a reação dos seguranças foi imediata. Ela foi segurada pela parte interna do braço, num movimento que é conhecido como mata-leão. Não houve registro de imagem do acontecimento, já que houve confusão entre os seguranças e outros jornalistas.

Seguranças de Bolsonaro agridem jornalistas

Essa não foi a primeira vez que uma equipe de seguranças do presidente é acusada de agredir jornalistas que estavam presente num local para cobrir a presença de Jair Bolsonaro. Recentemente, houve uma acusação formal da Globo de que profissionais da emissora foram intimidados e agredidos por seguranças enquanto o presidente estava em viagem para a Itália.

Na ocasião, um forte editorial foi lido por diversos programas jornalísticos da emissora, inclusive no Fantástico, ainda comandado por Tadeu Schmidt. Na ocasião, o próprio Bolsonaro chegou a comentar o tema e minimizou a situação, sem confirmar que teria havido qualquer agressão contra profissionais de imprensa.

 

Mais Notícias