Reportar erro
Absurdo

Repórter da CNN Brasil é hostilizado em ato pró-Bolsonaro

Manifestantes xingaram o jornalista e o canal do notícias

Repórter da CNN Brasil é escoltado por policiais
Repórter da CNN Brasil é hostilizado em ato pró-Bolsonaro - Foto: Reprodução
Redação NT

Publicado em 23/05/2021 às 17:40:11,
atualizado em 23/05/2021 às 19:50:52

O repórter Pedro Duran, da CNN Brasil, foi hostilizado durante o ato do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) com apoiadores neste domingo (23), no Rio de Janeiro. O jornalista precisou deixar o local escoltado por policiais militares, que o levaram até uma viatura para que ele saísse em segurança da manifestação.

Os manifestantes bolsonaristas xingaram o jornalista e o canal do notícias, com expressões como  “vagabundo”, “lixo” e “CNN Lixo”. 

Jornalistas repudiaram e prestaram solidariedade a Pedro Duran. “Minha solidariedade ao repórter Pedro Duran”, escreveu Guga Chacra da GloboNews. “O autoritarismo sonha com uma imprensa amedrontada, enfraquecida e cercada, mas não deixaremos de denunciar as violências dessa era irreconhecível do Brasil”, disse Weslley Galzo, da CNN.

Pouco antes de ser expulso da manifestação, Pedro Duran fez um registro do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

"Surpresa no ato pró-Bolsonaro deste domingo, o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello chegou de moto, foi recebido aos gritos de 'mito', tirou a máscara ao lado de apoiadores no carro de som e ganhou até beijo de uma senhora.

CNN Brasil repudia ataque a repórter

Em nota ao NaTelinha, a CNN Brasil informou que repudia veementemente qualquer tipo de agressão. “Acreditamos na liberdade de imprensa com um dos pilares de uma sociedade democrática. Os jornalistas têm o direito constitucional de exercer sua profissão de forma segura, para noticiarem fatos, dentro dos princípios do apartidarismo e da independência”, disse a emissora.

O ato do Rio de Janeiro com Jair Bolsonaro  e apoiadores foi marcado por aglomeração  e desrespeito aos protocolos de segurança recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em meio à pandemia da Covid-19.

Sem máscara, o presidente da República fez um passeio de motocicleta e depois causou aglomeração ao fazer um pronunciamento.

TAGS:
Mais Notícias