Reportar erro
Brasil Urgente

Após bate-boca, Datena diz que Doria recusa entrevistas: "Narcisista"

Apresentador criticou governador de São Paulo depois de discussão ao vivo

João Doria e José Luiz Datena discutiram no Brasil Urgente
João Doria e José Luiz Datena discutiram no Brasil Urgente - Foto: Reprodução/Band
Paulo Pacheco

Publicado em 10/11/2020 às 18:20:42

José Luiz Datena criticou João Doria no Brasil Urgente desta terça-feira (10). O apresentador havia pedido uma entrevista governador de São Paulo a respeito da suspensão dos testes da vacina contra o novo coronavírus, porém o chefe do Executivo paulista recusou falar com o jornalista após uma discussão ao vivo no programa da Band, há três semanas.

"Depois que eu discuti com o Doria… discuti não, foi uma entrevista besta, boba, desnecessária, que ele reagiu muito mal com uma pergunta normal que eu fiz. Ele perguntou se eu era médico, eu disse que não e que ele também não era", recordou Datena, reclamando que o governador tem optado por não dar entrevistas no Brasil Urgente.

"Ele fala comigo pelo 'zap', mas não quer dar entrevista para mim. Se não quiser, não vai fazer falta absolutamente nenhuma. Se quiser falar, pode falar, aqui é um espaço democrático, mas pelo jeito não quer falar. Eu também não vou ficar implorando para ele falar, mesmo porque tem 1 milhão de pessoas para falar, não preciso entrevistar governador de São Paulo", prosseguiu o jornalista, aborrecido.

Na sequência, Datena chamou o governador de narcisista, citando a música Sampa, de Caetano Veloso: "Doria é que nem o Narciso, acha feio o que não é espelho. Você tem que falar bem para tudo o que ele acha. Se ele não quer me dar entrevista, o que eu posso fazer? Eu não vou enforcar o cara para me dar entrevista, entendeu?".

O presidente Jair Bolsonaro, que comemorou a suspensão dos testes da CoronaVac após uma morte não ligada à imunização, também foi criticado pelo apresentador: "A atitude do presidente também foi desnecessária, não precisava tripudiar com o negócio de vacina. Aliás os dois estão politizando a vacina e acho que esse negócio não pode ser politizado".

Relembre o bate-boca entre Datena e Doria

No Brasil Urgente de 22 de outubro, João Doria disse que acionaria a Justiça se Bolsonaro impedisse ou prejudicasse a produção da vacina pelo Instituto Butantan. A discussão começou quando Datena afirmou que a imunização escolhida por Doria estava sendo utilizada na China apenas em caráter emergencial. O governador desmentiu a informação.

Em seguida, Datena indagou Doria sobre a reabertura gradual da economia mesmo com mais de 100 mortos por dia no estado, número semelhante ao de países da Europa que voltaram a adotar o distanciamento social. "Por que brigar tanto pela vacina?", questionou.

"Vamos continuar seguindo a orientação de médicos e especialistas. Aqui, não seguimos a orientação de políticos, empresários, amigos e jornalistas, com todo respeito. É o que deveria fazer o presidente da República e não faz", alfinetou o governador. Depois, defendeu qualquer vacina com eficácia comprovada independentemente do país de origem.

Datena rebateu o entrevistado: "Se o senhor acusa Bolsonaro de usar politicamente isso, ele te acusa da mesma coisa, de usar politicamente a vacina". Doria respondeu: "Eu nunca declarei para você nem para ninguém que era uma gripezinha". O apresentador retrucou: "Mas falou que o pior já tinha passado".

Doria manteve sua declaração e, em tom elevado, sugeriu para Datena perguntar a Eduardo Oinegue, titular do Jornal da Band, se os números de óbitos e casos confirmados de Covid-19 diminuiu em São Paulo.

"Eu não estou aqui para perguntar para jornalista, estou aqui para perguntar para o senhor. Não precisa me mandar perguntar para companheiro meu. Estou perguntando para o senhor por que o senhor falou que o pior já passou e agora está brigando tanto pela vacina", disse Datena.

Em outro momento, Doria disse que Datena "não era médico", e o apresentador devolveu: "E o senhor também não!". O titular do Brasil Urgente sugeriu que a impressão geral é de briga política por vacina, e o governador voltou a provocar Bolsonaro: "Nunca ofereci cloroquina".

Datena encerrou a entrevista com Doria se desculpando pela discussão: "Eu queria pedir desculpas à população porque não gosto de fazer entrevistas desse tipo, me sinto muito mal. Esta foi uma das piores entrevistas que já fizemos, eu e o senhor. Foi muito ruim, não gostei do resultado final, mas espero que a próxima seja melhor".



Mais Notícias