Reportar erro
Há três anos

Record é condenada a indenizar jovem inocente exposta no Cidade Alerta

Programa foi exibido há mais de três anos

Marcelo Rezende no Cidade Alerta
Marcelo Rezende à frente do Cidade Alerta - Divulgação/Record TV
Redação NT

Publicado em 13/10/2020 às 10:13:20

A Record terá de indenizar em R$ 50 mil uma jovem e sua família. Em uma edição de 2017 do Cidade Alerta, quando ainda era apresentado por Marcelo Rezende (1951-2017), ela foi apontada como suspeita de homicídio, quando ainda era menor de idade. As informações foram publicadas pela jornalista Patrícia Kogut no jornal O Globo desta terça-feira (13).

A decisão foi assinada pela relatora Mônica de Carvalho, da 8ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, que enfatizou no documento que a jovem não era nem investigada pela polícia.

No caso narrado pelo jornal policial da Record, uma moça identificada como Ana Paula teria sido atraída para uma ponte na cidade de Guaratinguetá, interior de São Paulo, e morta queimada na frente do filho de um ano. A criança foi jogada no rio, mas conseguiu sobreviver depois de ser ajudada por um motorista de ônibus que passava pelo local.

Record expôs casa da jovem

A reportagem do Cidade Alerta falou com parentes da vítima e moradores do bairro onde ocorreu o crime. E os entrevistados disseram que Ana Cláudia Ferraz, vizinha de Ana Paula, poderia ser a assassina.

As imagens da casa da menina e de seus pais foram expostas na Record, mas a polícia nunca a investigou. O processo durou três anos e agora a Record terá de indenizar Ana Cláudia em R$ 30 mil, além de R$ 20 mil para seus pais, que a representaram no processo.

O programa foi ao ar em fevereiro de 2017, pouco antes de Rezende voltar suas atenções para a luta contra o câncer no pâncreas. Ele descobriria a doença em maio do mesmo ano, falecendo quatro meses depois. Desde então, Luiz Bacci se tornou o titular do Cidade Alerta.

Mais Notícias