Reportar erro
Documentário inédito

Sr. Barriga e fãs brasileiros procuram episódios perdidos de Chaves

Fã-clube lança filme para pressionar donos das séries pela recuperação de histórias

Chapolin e Chaves
Chapolin e Chaves (Foto: Montagem/Reprodução)
Paulo Pacheco

Publicado em 20/08/2020 às 04:44:00

Entre idas e vindas, Chaves e Chapolin comemoram 36 anos da estreia no Brasil nesta quinta-feira (20), pela primeira vez sem perspectiva de quando voltarão ao ar. Enquanto a rede mexicana Televisa, ex-detentora das séries, tenta se acertar com o Grupo Chespirito, dono dos roteiros e dos personagens, fãs brasileiros se uniram para procurar episódios dos dois programas perdidos no mundo todo.

Nesta noite, o Fórum Chaves, maior comunidade de fãs do Brasil, lançará no YouTube o documentário inédito Episódios Perdidos: Uma História, investigação minuciosa sobre o desaparecimento de capítulos de Chaves e Chapolin no Brasil e em outros países. Há material sumido ou escondido das duas séries inclusive no México.

Para ajudar na "caça" aos episódios, os fãs de Chaves pediram uma ajuda de peso (sem duplo sentido): Edgar Vivar, intérprete do Sr. Barriga e outros personagens nos programas de Roberto Gómez Bolaños (1929-2014).

O fã-clube brasileiro, que mantém contato com admiradores de outros países, levantou aproximadamente 80 histórias perdidas de Chaves e Chapolin. Algumas, surpreendentemente, só passam no Brasil, como a segunda parte do Festival da Boa Vizinhança, em que Chaves recita "O Cão Arrependido" e Quico se declara à "Mamãe Querida".

"Involuntariamente, o Brasil se tornou a salvação de alguns perdidos, como os episódios 'Errar É Humano' e 'Um Festival de Vizinhos'. Esses capítulos não são mais distribuídos pela Televisa, mas foram adquiridos pelo SBT, que nunca deixou de exibi-los", destaca João Victor Trascastro, produtor do documentário e administrador do Fórum Chaves.

Com o material, os fãs esperam conseguir pressionar os detentores de Chaves a resgatarem os episódios perdidos antes que se deteriorem definitivamente. Há histórias sem uma imagem sequer disponível, encontradas apenas em guias de programação das TVs mexicanas da década de 1970.

"Essa tem sido nossa principal reivindicação ao longo dos anos junto à Televisa e ao Grupo Chespirito. É inadmissível que parte tão importante da história das séries, que agora completam 50 anos, fique perdida dessa forma", lamenta Antonio Felipe Purcino, também administrador do Fórum Chaves.

Chaves: Fãs e Sr. Barriga \"caçam\" episódios perdidos

Registro interno do SBT com a programação dos dias 20 e 24 de agosto de 1984, considerado a "certidão de nascimento" de Chapolin e Chaves no Brasil (Foto: Acervo de Paulo Pacheco)

"Apagão" de Chaves e Chapolin 

Chaves e Chapolin deixaram a televisão mundial em 31 de julho, com o fim do contrato entre Televisa e Grupo Chespirito. A data, estipulada pelo criador das séries antes de morrer, era desconhecida pelas exibidoras no Brasil (SBT, Multishow e Amazon Prime Video) e foi revelada por Edgar Vivar durante uma entrevista.

No SBT, Chapolin estreou em 20 de agosto de 1984, com o episódio Aristocratas Vemos, Gatunos Não Sabemos (1978). Chaves foi ao ar pela primeira vez no dia 24 de agosto do mesmo ano, com o episódio O Matador de Lagartixas (1976). Comprados por acaso por Silvio Santos, os programas se transformaram em fenômeno cultural e de audiência.

Para os dois programas retornarem à televisão, a Televisa precisa desembolsar o valor pedido pelos herdeiros de Bolaños, que comandam o Grupo Chespirito. Outra opção seria os filhos do comediante comprarem as fitas de Chaves e Chapolin à rede mexicana e revenderem a outra distribuidora.

Mais Notícias