Tem na Netflix

Por que O Gambito da Rainha virou um fenômeno mundial da Netflix?

Série tem sido vista por milhões de pessoas ao redor do mundo

 Por que O Gambito da Rainha virou um fenômeno mundial da Netflix?
O Gambito da Rainha virou um fenômeno na Netflix - Foto: Reprodução

Daniel César

Publicado em 13/12 às 07:03:14

A nova minissérie da Netflix, O Gambito da Rainha, virou um fenômeno mundial em poucos dias depois do lançamento e se transformou em mania de assinantes e da crítica. Considerada a favorita para arrematar prêmios como o Globo de Ouro e o Emmy, a produção chamou a atenção do grande público para o jogo de xadrez, raramente tratado na dramaturgia, mas o que fez dela um sucesso é mesmo o fato de ser um novelão e de ter temas contemporâneos e libertadores.

continua depois da publicidade

Normalmente as produções da plataforma de streaming têm conseguido destaque em vários países, inclusive no Brasil e apenas em 2020 O Gambito da Rainha se juntou a séries como Stranger Things e La Casa de Papel, além do filme Enola Holmes. Mas a diferença é que todas as produções parecem terem sido feitas para o sucesso, o que não é o caso da minissérie sobre uma jogadora de xadrez invencível.

continua depois da publicidade

Veja os motivos do sucesso de O Gambito da Rainha

Elenco

Embora a maioria do elenco da minissérie não seja conhecido do grande público brasileiro, acostumado a séries mundialmente famosas e as nossas telenovelas, a escolha parece ter sido pensada a dedo e promoveu um verdadeiro furor com o que se vê em cena.

A começar pela protagonista Anya Taylor-Joy, que parece ter nascido para o papel. Ela dá vida a uma personagem controversa e consegue cativar o público por seu estilo cheio de caras e bocas e que, por vezes provocam emoções dúbias em quem está assistindo, que pode ir do riso ao choro em questão de segundos.

continua depois da publicidade

Xadrez

Pode até parecer uma afirmação contraditória, afinal o xadrez costuma ser um jogo monótono para quem está assistindo. Mas em O Gambito da Rainha o que se vê é o oposto. Desde o primeiro episódio, as partidas são mostradas de uma forma raramente vistas na dramaturgia, com agilidade.

Embora o xadrez não seja propriamente protagonista da história, ele serve como pano de fundo e funciona muito bem porque alimenta os dramas reais das personagens. As partidas raramente ocupam muito espaço de arte e conseguem promover angústia do telespectador para acompanhar o desempenho da vitoriosa mocinha.

continua depois da publicidade

Netflix

 

É evidente que a qualidade estética promovida pela Netflix não pode ser ignorada numa lista de motivos para ver qualquer produção atualmente. A plataforma de streaming costuma investir aos tubos em suas séries - foi assim que transformou The Crown no produto de TV mais caro do mundo.

Na minissérie não é diferente e o público percebe o acabamento e os cuidados detalhes promovidos por um serviço que precisou de muito dinheiro para dar vida àquela história. A Netflix, no entanto, não revelou quanto investiu para cada um dos sete episódios da produção.

continua depois da publicidade

Novelão

Qualquer um ao ler distraidamente o resumo de O Gambito da Rainha, se achará diante de uma produção bem diferente do que se costuma assistir no Brasil. Mas não é bem assim, já que, muito bem amarrada, a minissérie tem todos os elementos de um novelão.

A história é bastante parecida com as microsséries que a Globo fez ao longo desta década, como O Canto da Sereia e Amores Roubados e tem diversas viradas, além de claramente acompanhar a história de uma heroína a que o público rapidamente se encanta.

continua depois da publicidade

Temas modernos

Atualmente o mundo todo vem discutindo o papel da dramaturgia em pautas progressistas e O Gambito da Rainha não se furta disso. A própria protagonista é uma espécie de referência deste assunto por revelar uma mulher muito a frente do seu tempo e que se sente desajustada por não ser compreendida e, muitas vezes, tratada com preconceito de gênero.

Mas a minissérie vai muito além e discute outros temas, como a força feminina, distúrbios mentais por órfãos e até a dura vida adulta de uma adolescente desajustadas, sem deixar de falar da difícil vida de quem é dependente químico.

continua depois da publicidade