Vem aí

Rodrigo Fagundes chora ao falar de Cara e Coragem e da morte da mãe: "tô aqui por ela"

Ator falou sobre a realização pessoal de estar no elenco de uma novela


Rodrigo Fagundes emocionado
Rodrigo Fagundes se emociona ao falar da morte da mãe - Foto: Reprodução

Rodrigo Fagundes, que dará vida ao Armandinho em Cara e Coragem, próxima novela das 19h da Globo, se emocionou ao falar da morte da mãe pela Covid-19, durante coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (20). Para o ator, que também participou de Pega Pega, a parceria com Claudia Souto, autora dos folhetins, foi fundamental para a sua realização pessoal de atuar em uma novela antes da partida mãe, sua maior incentivadora.

Dono da Êxito Dublês, o personagem de Fagundes é um carismático malandro chegado em uma confusão. Ele tem três ex-mulheres: Cleide (Amanda Mirásci), dona da cantina da Companhia de dança vertical, Dalva (Carol Portes), proprietária de um brechó frequentado por Anita (Taís Araujo), e Margareth (Ariane Souza), pesquisadora e assistente de Jonathan (Guilherme Weber) na Siderúrgica Gusmão, SG. Ao longo da história, terá atritos e recaídas com as moças.

"A Claudia (Souto), a gente se conheceu no Zorra Total. Já é uma parceria que a gente tem de muitos anos, da comédia, e ela sempre apostou em mim pra tudo. Ela sempre acompanhou o meu trabalho no teatro. Então, assim, além de uma autora maravilhosa, é uma amiga que eu fiz pra minha vida. A gente é muito parceiro. Ter uma pessoa que acredita em você, que te dá coisas que você nem achava que fosse capaz de fazer... O público me conhece da linha de jogo, mas eu sempre fui noveleiro. (Pensava) uma hora vai, um hora vai, uma hora vou fazer novela... e tô fazendo", disse.

O ator destacou que o nome da trama é quase um mantra que internaliza para seguir mesmo diante das adversidades. "Cara e Coragem... Eu adoro esse nome, esse título. Serve pra tanta coisa nesse momento... A gente passou por uma pandemia, todo mundo de alguma forma perdeu alguma coisa. Eu perdi muita coisa, eu perdi a minha mãe na pandemia. Perdi minha mãe há 10 meses", disse, emocionado.

"Eu sempre vou falar dela porque uma semana antes de morrer ela soube que eu ia fazer a novela. Eu tô fazendo muito por ela, sabe? Porque ela estava muito feliz, ela amava, era minha fã número um. Então, assim, toda vez que eu fico triste eu paro e penso 'minha mãe vai ficar puta comigo de onde ela estiver'. Eu tô aqui por ela, muito. Eu tô muito feliz, eu amo o que eu faço e estar com essas pessoas. É sorte", concluiu Rodrigo, com os olhos marejados. 

Em Cara e Coragem, figurino não teve toque do ator

Rodrigo Fagundes chora ao falar de Cara e Coragem e da morte da mãe: \"tô aqui por ela\"

Ainda durante a coletiva, Rodrigo Fagundes garantiu que o figurino do personagem foi algo criado pela produção da novela e não adicionou nenhuma inspiração. Além de ostentar um bigodón, o dublê usa sua inseparável pochete de couro e muita estampa, uma versão mais florida de Agostinho Carrara.

Cara e Coragem , uma comédia romântica de ação embalada por aventura e mistérios, é criada e escrita por Claudia Souto com direção artística de Natalia Grimberg. A obra é escrita com Isadora Wilkinson, Julia Laks e Zé Dassilva. A direção geral é de Adriano Melo com direção de Oscar Francisco, Cadu França, Mayara Aguiar e Matheus Malafaia. A produção é de Mônica Fernandes e a direção de gênero é de José Luiz Villamarim.

Acompanhe a TV NaTelinha no YouTube

Resumos de novelas, entrevistas exclusivas, bastidores da televisão, famosos, opiniões, lives e muito mais!

Inscreva-se
Mais Notícias