Retorna na Globo

Miguel Romulo aponta sucesso de A Favorita: "A forma em que descobrimos a vilã"

Intérprete do Shiva Lenin recorda personagem que lhe rendeu o prêmio de ator revelação


Miguel Rômulo em foto posada
Miguel Rômulo recorda papel em A Favorita - Foto: Reprodução/Instagram

A Favorita estreou na Globo em junho de 2008. Escrita por João Emanuel Carneiro, e com direção de Ricardo Waddington, a história girava em torno das irmãs de criação Flora (Patrícia Pillar) e Donatela (Cláudia Raia), que formavam a dupla sertaneja Faísca e Espoleta na juventude.

Traição, morte e sede de vingança são apenas alguns dos ingredientes que fizeram da trama um dos maiores sucessos do horário nobre, e que agora está de volta através do Vale a Pena Ver de Novo, a partir desta segunda-feira (16).

Miguel Romulo aponta sucesso de A Favorita: \"A forma em que descobrimos a vilã\"

O NaTelinha conversou com Miguel Rômulo, intérprete do Shiva Lenin, papel que lhe rendeu o prêmio de ator revelação na época. O artista aponta o suspense em cima da identidade da vilã, que só foi revelada depois de muitos capítulos no ar, como primordial para o sucesso do folhetim.

"Acho que um dos fatores principais para o sucesso da novela foi inovar na forma em que descobrimos a vilã. Mais do que estimulado, me senti honrado em fazer parte dessa história", opina.

Na época em que a novela foi ao ar, Miguel tinha apenas 16 anos. Hoje, com 30, o ator se diz ansioso com a reprise. "Sempre fico feliz quando um trabalho meu aparece novamente na programação", garante.

“A Favorita tem um tempero um pouco mais especial, com certeza. Estou muito animado pra rever esse sucesso e, principalmente, para me ver na pele do Shiva", declara.

Para Miguel, esse trabalho foi um divisor de águas em sua carreira. Tanto que aponta a preparação para o papel como desafiadora. "O Shiva Lenin é, de longe, um dos personagens mais marcantes da minha carreira", diz.

"Fazer um adolescente com diversas questões pessoais, enquanto eu também era um adolescente com as minhas próprias questões pessoais, foi o maior desafio que tive. Shiva é amor, cumplicidade, família e, principalmente, empatia", avalia.

"O Shiva Lenin era muito fácil de ser querido e amado"

Miguel Romulo aponta sucesso de A Favorita: \"A forma em que descobrimos a vilã\"

Ao longo dos seus 21 anos de carreira, Miguel Rômulo é enfático ao afirmar que A Favorita foi um dos trabalhos mais importantes de sua trajetória profissional. "Me rendeu prêmio como ator revelação, visibilidade e, principalmente, me colocou em um lugar profissional muito importante", recorda.

"Sou grato demais por cada cena que fiz. Uma das lembranças mais fortes que tenho é o cenário da linda casa de vidro. É muito forte na minha memória, lembro de cada cantinho dela. Fico feliz que vou poder matar essa saudade nas tardes da programação", fala, saudoso.

Na época em que A Favorita foi ao ar pela primeira vez, o Shiva Lenin era um dos personagens mais queridos da novela. Para o ator, a resposta está no carisma e na relação do adolescente com os pais.

"O personagem era muito amoroso e muito amigo dos pais, ao mesmo tempo que também tinha suas vontades e sonhos. Gosto de valorizar meu trabalho, claro. Mas, sinceramente, acho que o Shiva Lenin era muito fácil de ser querido e amado" [risos], brinca.

Ele aproveita para apontar qual cena foi a mais marcante. "Quando o Shiva descobre sua mãe verdadeira. Senti o peso de dar a emoção necessária para uma novela das 21h, e sei o quão difícil foi. Não vejo a hora de assistir novamente", destaca.

Miguel conclui a conversa recordando o clima nos bastidores, que não poderia ser melhor. "Muito amor e parceria! Tive a honra de trabalhar com grandes nomes da televisão e tenho muitas lembranças boas. Acho que esse era o nosso diferencial, todos estavam entregues e queriam o sucesso", finaliza.

Mais Notícias