Reportar erro
Gênero

Autora de Totalmente Demais fala sobre preconceito com novela: "Popular, industrializada"

Escritora fala sobre diferença no tratamento de novelas

Rosane Svartman no Conversa com Bial
Autora escreveu sucessos como Totalmente Demais e Malhação Sonhos - Foto: Reprodução/TV Globo
Redação NT

Publicado em 13/04/2021 às 08:43:27,
atualizado em 13/04/2021 às 09:00:37

Rosane Svartman esteve no Conversa com Bial dessa segunda-feira (12) para falar sobre um produto que é campeão de exportação do Brasil: a novela. Autora de novelas como Totalmente Demais (2015-16), Malhação Sonhos (2014-15) e Bom Sucesso (2019) acredita que a resposta esteja na sua característica popular.

"Pela matriz popular, industrializada, comercializada. Produtos com a mesma matriz, como funk e samba, também sofreram o mesmo preconceito", afirma à Pedro Bial, comparando com os gêneros de música, que foram de certa forma, "criminalizados" no Brasil.

O publicitário José Roberto Filippeli, que representou a emissora por mais de 20 anos vendendo suas novelas, ele reforça que o gênero é um dos poucos que não aceita receber conteúdo passivo dos Estados Unidos. Ao contrário.

A diminuição das novelas segundo Rosane Svartman

Quando se fala em novela, o país desenvolve a própria linguagem, cria e exporta. "Por que o produto é visto por uma certa parcela da intelectualidade como um produto menor", refletiu Svartman. Ela se dedica, além de escrever novelas, também à sua pesquisa acadêmica. A mais exportada de sua autoria foi Totalmente Demais, que até o momento foi vendida para 142 países e foi um sucesso em edição especial no ano passado.

Totalmente Demais terminou sua edição especial em 2020 com 29,6 pontos, superando 19 novelas da faixa e alcançando números que não se via desde 2012. A reprise ainda performou quase 10% melhor que a primeira exibição entre 2015 e 2016.

A trama protagonizada por Marina Ruy Barbosa, ainda, foi campeã de exportação, sendo vendida para dezenas de países do Oriente Médio, Leste Europeu, América do Sul e Central.

Mais Notícias