Programa não comercial

Faa Morena fala sobre o "Ritmo Brasil" e seus desafios: "É remar contra a maré"

Apresentadora aborda o universo da cultura e da música no "Ritmo Brasil" há 12 anos

 Faa Morena fala sobre o "Ritmo Brasil" e seus desafios: "É remar contra a maré"
Divulgação/RedeTV!

Thiago Forato

Publicado em 19/05 às 08:03:07

No ar há 12 anos, o "Ritmo Brasil" é apresentado por Faa Morena nos sábados da RedeTV! e aborda exclusivamente o universo da cultura e da música brasileira. 

continua depois da publicidade

Psicóloga de formação, a profissão ajudou a apresentadora a conversar com todo tipo de convidado e fazê-los com que fiquem à vontade. "Gente diferente é que não falta, e gente diferente é quem eu mais gosto de conhecer. O diferente tem muita graça. Adoro! Todos nós temos muitos diferentes para contar", exemplifica ela em entrevista ao NaTelinha.

Bastante intimista com seus convidados, Faa conta que a recíproca é verdade. "É verdadeiro e tenho sensibilidade para que esse encontro seja o melhor possível. É uma característica minha", opina, sem modéstia.

continua depois da publicidade

Comandando um programa nada comercial na TV aberta há tanto tempo, Faa Morena diz o quão isso é desafiador: "É remar contra a maré. Mas eu acredito que o nosso povo merece um programa que tenha, além de entretenimento, uma cultura e algo de bom a ser dito".

Sua média não passa de 1 ponto no Ibope, e ela diz que a pressão por audiência existe. "Sempre há [pressão]. Mas o 'Ritmo Brasil' é o cartão de visitas da casa! Não desconsideram isso", celebra.

continua depois da publicidade

Ao longo dessa mais de uma década, inúmeros convidados já passaram pelo "divã" de Faa Morena. O cantor Jorge Aragão é um daqueles que ela nunca pensou em entrevistar, mas acabou se vendo diante dele. "Foi delicioso conversar com ele", relembra.

Ainda que seja experiente, a capacidade de ser surpreendida é latente: "Sempre fico surpresa como meus convidados se abrem de coração comigo e com o programa. Sabem que somos do bem e se sente à vontade".

continua depois da publicidade

Entrevistadora nata, seria clichê dizer que gostaria de entrevistar Silvio Santos. "E o Roberto Carlos, vale?", brinca.

Questionada como melhoraria o nível da TV aberta, responde: "Como disse anteriormente, a pressão por audiência é grande. E muitos fogem da informação e da cultura. Acho que o segredo está em informar com entretenimento, que é o nosso caso".