Reportar erro
Guerra

Após reuniões, Simba nega acordo com operadoras de TV paga

RecordTV, SBT e RedeTV! seguem de fora das operadoras em São Paulo

recordtv-sbt-redetv_7ffa5cb7bdcb454ca45569f232895a2c5c9a1978.jpeg
Divulgação
Fabrício Falcheti, com Sandro Nascimento

Publicado em 06/04/2017 às 16:02:06

A Simba Content se reuniu com as operadoras Net, Claro e Oi nesta quarta-feira (5) para negociar as voltas dos sinais da RecordTV, SBT e RedeTV!, foras da Grande São Paulo desde a madrugada da última quinta-feira (30).

Porém, diferente do que foi ventilado, o encontro não apresentou novidades. "A Simba informa que as negociações seguem seu curso, sem novidades e sempre acreditou no bom senso entre as partes", disse a joint-venture em contato com o NaTelinha.

A Simba busca receber pelos sinais digitais de RecordTV, SBT e RedeTV!, amparada na lei que obriga a distribuição gratuita dos canais abertos apenas no analógico, que foi encerrado em São Paulo na última semana, além de Brasília e regiões de Goiás.

Em uma entrevista de grande repercussão ao NaTelinha, Marco Gonçalves, executivo contratado para comandar a empresa criada pelas três emissoras, justificou: "Quanto custa para produzir uma Globo News e um canal Off? É caro ou barato? As operadoras de TV por assinatura não produzem nada. Elas não podem classificar como caro ou barato. Isso porque não tem a mínima ideia de quanto custa. É difícil você colocar preço no trabalho dos outros. As operadoras podem dizer se elas conseguem ou não vender para o cliente final. Posso te falar de outra forma. Será que o preço que a gente encontra para assinatura tá caro ou barato? Um pacote básico por R$ 150 ou R$ 200, é barato ou caro? Quanto que de fato o consumidor assiste TV por assinatura e quanto tempo ele gasta em canais que sejam efetivamente pagos, é caro ou barato para o consumidor? O que a gente vai tentar fazer é aquilo que caiba dentro do orçamento das operadoras".

As negociações seguirão nos próximos dias em busca do acerto. A única operadora que se mantém reticente é a Sky, apesar de dizer que está aberta a conversar. Marco Gonçalves chamou a operadora de "dinossauro que vai deixar de exisitir, uma espécie em extinção".

Mais Notícias