Reportar erro
Exclusivo

Netflix não entra na guerra por futebol ao vivo e explica motivo

Plataforma focará apenas em dramaturgia e programas de entretenimento

logotipo da Netflix e filmes do seu catálogo
Netflix não vai embarcar no universo esportivo - Foto: Reprodução/Netflix
Naian Lucas

Publicado em 05/10/2021 às 04:51:00

Enquanto os streaming parecem criar uma guerra de gigantes para garantir transmissões de partidas de futebol no Brasil, a Netflix irá caminhar na contramão e não pretende entrar nesta disputa. O principal serviço do mundo não pretende canalizar investimentos para essas batalhas e não deve sequer apresentar proposta para levar as principais competições do esporte na América do Sul.

Segundo apurou o NaTelinha, a Netflix entende que este não é o segmento para seus assinantes e a ideia é para o mundo todo. A empresa já se reuniu sobre o assunto e definiu que transmissões esportivas não fazem parte do escopo que vem sendo buscado para crescer em número de assinantes, por isso deixará essa briga para outras plataformas.

Nos EUA, por exemplo, o futebol americano e o basquete já estão ganhando espaço no streaming, mas a Netflix não fez nenhum movimento para conquistar esse público, tanto que houve busca por parte da Prime Video. Além disso, a Disney+ detém diversas competições por ser a proprietária da ESPN, o principal canal esportivo do país. E ali é só um espelho do que deverá acontecer no resto do mundo e, consequentemente, no Brasil.

Com a chegada da HBO Max, a Warner, que é dona do streaming e da TNT, já colocou diversas competições na plataforma, como a Champions League e até partidas do Brasileirão. A Disney+ também segue este caminho com jogos da Premier League pela ESPN e outros serviços parecem seguir o mesmo caminho, como é o caso do Globoplay e da Prime Video, que deverão brigar pelos direitos do Brasileirão, Libertadores e Champions League. Além disso, a menina dos olhos desse tipo de serviço será a Copa do Mundo de 2022, que poderá ter transmissão na internet.

Netflix fora da disputa

imagem-texto

Em conversa com pessoas ligadas à Netflix Brasil, a reportagem apurou que não há o menor interesse da Netflix entrar nessa disputa por entender que não faz parte da busca-ativa de assinantes que a empresa tem no país. Uma fonte confirmou que a plataforma não deverá fazer proposta por nenhum dos torneios de futebol que terão disputa nos próximos anos, por entender que não haveria ganho e o investimento seria muito alto para ter que exibir jogos ao vivo e simultaneamente, o que não é interesse da multinacional.

Embora o crescimento do futebol para assinantes pareça ser tentador, afinal a Globo tem no Premiere uma de suas grandes fontes de renda, a Netflix entende que não é interessante para ela. Pelo simples fato de que teria de mudar o padrão de assinaturas, criar um perfil apenas para quem quer acompanhar as transmissões esportivas e o custo-benefício não seria tão atrativo neste momento. Nos bastidores, a empresa especulou que o número de assinantes é ínfimo, mesmo para o Premiere que detinha todas as competições, no caso de transmissões quebradas, o número deve ser baixo.

Netflix quer investir em outras áreas

imagem-texto

Enquanto diversas plataformas no Brasil irão apostar em jogos de futebol dos mais diferentes caminhos, a Netflix deverá ir para outro caminho e seguirá investindo em vários segmentos do entretenimento. O NaTelinha conversou com funcionários da empresa que confirmaram o interesse de investir cada vez mais em dramaturgia, além de outras áreas, como reality shows, game shows e filmes.

Procurada, a plataforma informou o seguinte: "A Netflix Brasil está empenhada em produzir mais entretenimento para seus assinantes e vem investindo em formatos não roteirizados, além de séries. Não há um posicionamento oficial sobre transmissão esportiva no Brasil, mas a Netflix global já informou que este não faz parte dos interesses da empresa.

NaTelinha no Google News

Acompanhe as exclusivas da televisão, resumos das novelas, as bombas dos famosos, realitys e muito mais na palma da mão.

Siga-nos
TAGS:
Mais Notícias