Corte

Megafusão da Globo leva tensão e demissão ao Projac

Emissora fez cortes de seus funcionários

Megafusão da Globo leva tensão e demissão ao Projac
Onda de demissões na Globo atingiu o entretenimento. Foto: Divulgação

Publicado em 06/11/2019 às 22:32:25 ,
atualizado em 07/11/2019 às 11:14:15

Por: Daniel César com Sandro Nascimento

A Globo demitiu mais de 100 funcionários nesta quarta-feira (06). Na lista dos cortados estavam profissionais de figurino, transporte, produção e equipe do setor de entretenimento. Esse movimento é consequência do processo da megafusão de empresas do grupo Globo que tem levado tensão ao estúdios da emissora no Rio de Janeiro.

De acordo com fontes ouvidas pela reportagem, as demissões fazem parte da primeira fase de corte que deve chegar a 20% na folha  do departamento pessoal das empresas envolvidas no processo de fusão.

O programa Uma Só Globo, que iniciou em setembro de 2018, consiste em unir um único CNPJ a TV Globo, Globosat, Globo.com, DGCORP (Diretoria de Gestão Corporativa) e Som livre. Essa fusão está sendo liderada pela Accenture, empresa líder mundial em consultoria de tecnologia e transformação empresarial.

Procurada pelo NaTelinha, a Globo diz em nota: "Não comentamos questões internas. Todas as grandes empresas modernas passam por processos na busca de eficiência e evolução constante e, nesse contexto, é natural que se façam ajustes. Na Globo não é diferente".

Vale lembrar que no ano passado a Globo fechou no vermelho após decidir investir boa parte de seus recursos no Globoplay. Balanço de 2018 indicou que o conglomerado teve déficit operacional na casa dos R$ 530 milhões e boa parte disso se deu por conta do investimento na plataforma de streaming do Grupo Globo.

A emissora carioca vem fazendo muitos investimentos nos últimos anos. Há poucos meses, ela inaugurou o MG4, o novo complexo de estúdios para gravações de novelas e que é considerado um dos mais modernos e tecnológicos de toda a América Latina.

Clima na Globo

Dentro da Globo, este processo de fusão entre TV Globo, Globosat, Globo.com, DGCORP (Diretoria de Gestão Corporativa) e Som livre, vem trazendo um clima de tensão entre os funcionários. Isso explica porque cada empresa possui setores operacionais independentes, como RH, financeiro, contábil e administrativo.

Grupo de trabalho da Accenture vem realizando um mapeamento de todos os processos de apoio das empresas, e analisando o que tem em comum e o que são diferentes, afim de alinhar e promover os cortes necessários. Com isso, como exemplo, todas as empresas terão único setor financeiro, com um único chefe de setor, demitindo os demais.

O programa Uma só Globo foi anunciada pelo presidente executivo do Grupo Globo, Jorge Nóbrega, em setembro do ano passado.

Segue o comunicado que foi enviado na época a todos os setores da Globo:

"O Grupo Globo tem uma história vitoriosa de transformações e mudanças. Ao longo de seus 93 anos de existência, criamos empresas e negócios, enfrentamos e vencemos dificuldades, inovamos, erramos e aprendemos com nossos erros. Mudar e evoluir, portanto, é parte do que somos. Como vocês todos sabem, os negócios de mídia estão se transformando aceleradamente no mundo todo. Queremos estar à frente dessas mudanças e ser um exemplo de empresa bem-sucedida no novo cenário.

Já estamos há algum tempo trabalhando em diversas iniciativas que levam a novas formas de atuar e representam um trabalho conjunto de nossas empresas e profissionais. Quero destacar quatro frentes que exemplificam esse processo.

Projeto Esportes, liderado por Roberto Marinho Neto, que tem por objetivo definir um novo modelo de gestão de esportes para TV Globo e Globosat, buscar integrar a produção de conteúdo esportivo (fábrica de esportes) e gerir esportes com uma visão de resultados e de conjunto.

Projeto de Inteligência & Publicidade Digital, liderado por Eduardo Schaeffer, que visa organizar uma área central de inteligência e comercialização dos ativos digitais produzidos pela TV Globo, Globosat e Som Livre, baseada em dados e conhecimento do consumidor.

Projeto OTT/Novo Globoplay, liderado por João Mesquita, que vai oferecer em uma plataforma de distribuição única, diretamente ao consumidor, um amplo serviço de vídeo com conteúdos produzidos pela TV Globo e pela Globosat, além de conteúdos internacionais.

Projeto Uma Só Tecnologia, liderado por Rossana Fontenele, que está organizando a tecnologia como uma função única e integrada para TV Globo, Globosat, Som Livre, Globo.com e DGCORP.

Esse conjunto de projetos mostra uma direção: integrar equipes e estruturas, desenvolver novas áreas de competência, criar novos negócios e buscar novas receitas.

Queremos, agora, acelerar e tornar mais robusto esse processo de transformação. Vamos preservar o que sempre fizemos com excelência, de forma ainda melhor e mais eficiente. Mas também vamos criar novos negócios, aproveitando as oportunidades que a tecnologia e o conhecimento do nosso consumidor nos propiciam.

Estamos lançando, hoje, um ambicioso programa que chamamos de Uma Só Globo (usando o título do projeto bem-sucedido já utilizado pela TV Globo, agora aplicado ao nosso conjunto de empresas). Para nos ajudar nessa tarefa, contratamos a Accenture, líder mundial em consultoria de tecnologia e transformação empresarial. As equipes de consultores e dos nossos profissionais de diferentes áreas e empresas irão trabalhar em diversas frentes, a partir da nossa visão comum de grupo. O resultado final será a transformação da TV Globo, Globosat, Globo.com, DGCORP e Som Livre em uma única empresa, mais ágil e mais forte. Vamos atuar em duas vertentes ao mesmo tempo: na melhoria e aperfeiçoamento de nossos negócios e atividades atuais e na criação de novos negócios. A partir da nossa visão de futuro, vamos criar objetivos concretos e mensuráveis, que serão trabalhados de forma estruturada por equipes mistas de consultores e profissionais da casa, produzindo soluções a serem imediatamente aplicadas. O programa deve durar três anos.

Com o objetivo de liderar o Programa Uma Só Globo, indiquei a Rossana Fontenele, atual diretora-geral de Planejamento e Gestão da TV Globo. Rossana assumirá desde já a posição de diretora-geral de Estratégia e Desenvolvimento de Negócios, subordinando-se diretamente a mim.

Uma Só Globo, que começam a ser criados em outubro. Continuará respondendo pelo projeto Uma Só Tecnologia e apoiará a implantação dos atuais projetos Globoplay, Esportes e Publicidade Digital, cujos líderes continuarão subordinados a mim. Rossana vai acumular o novo cargo com suas atuais funções na TV Globo até o fim do ano.

Na sua estrutura a partir de janeiro, Rossana contará com Raymundo Barros, atual diretor de Tecnologia da TV Globo, que passará a liderar a nova estrutura integrada de tecnologia, com Cristiane Delecrode, atual diretora corporativa de Planejamento e Controle, e com Cintia Moraes, atual diretora de Planejamento Estratégico da DGCORP.

As empresas TV Globo, Globosat, Som Livre, bem como as demais áreas da DGCORP, seguem subordinadas a mim, assim como a Editora Globo/Infoglobo/Valor Econômico e o Sistema Globo de Rádio. Estas duas últimas, no entanto, não farão parte nesse momento do Programa Uma Só Globo.

Estamos fazendo um grande investimento no nosso presente e no nosso futuro. Os próximos três anos serão um período de muita efervescência e de muitas oportunidades de aprendizado e crescimento para todos. Quero convidar cada um de vocês a participar dessa construção, trazendo seus conhecimentos, sua dedicação e sua capacidade de colaborar e aprender.

Jorge Nóbrega - Presidente Executivo do Grupo Globo.”


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!