Finanças

Altos investimentos no Globoplay prejudicaram balanço financeiro do Grupo Globo

Conglomerado divulgou seu balanço de 2018 nesta semana

Logo do Grupo Globo
Divulgação

Publicado em 15/03/2019 às 06:00:06 ,
atualizado em 15/03/2019 às 11:44:14

Por: Naian Lucas

Ao menos num primeiro momento, os altos investimentos para o crescimento do Globoplay foram os grandes responsáveis pelo resultado operacional negativo do Grupo Globo.

Segundo balanço de 2018 publicado pela emissora na última terça-feira (12) e noticiado pelo NaTelinha, o conglomerado teve déficit operacional negativo de R$ 530 milhões no ano passado.

Porém, diferentemente do que circulou nos últimos dias, o resultado não se dá por conta de operações da TV Globo, mas por conta de outros investimentos do grupo, principalmente o Globoplay.

Quem afirmou isso foi o próprio Grupo Globo. “Neste último caso (do Globoplay), temos grandes investimentos (capex + despesas) em conteúdo e plataforma, para receitas que só virão posteriormente”, disse. Ainda no texto, a Vênus Platinada explicou que “é errado concluir que a Unidade de Negócio TV Globo tem prejuízo operacional”. Com informações do site Tela Viva.

Os custos operacionais tratam-se de despesas referentes ao funcionamento da marca. No caso do Globoplay, o grupo investiu tanto no software quanto nas despesas oriundas da produção de conteúdo.

Segundo apurado pela reportagem do NaTelinha, a expectativa é de que o streaming passe a obter resultados satisfatórios nos próximos anos. Neste momento, o Globoplay apresenta assinatura mensal abaixo de sua principal concorrente, a Netflix, porém, os valores já estão acima do Prime Vídeo, pertencente a Amazon.

No balanço financeiro de 2018, porém, o Grupo Globo não separou suas despesas operacionais por setores, por conta disso fica inviável verificar o montante investido para as operações do streaming.

O Globoplay tem sido tratado como a menina dos olhos do conglomerado. Além de disponibilizar para acesso a qualquer momento, por meio da internet, de toda a programação da emissora, o aplicativo conta também com conteúdo exclusivo.

Séries como “Ilha de Ferro” e “Assédio” foram produzidas para o streaming e, segundo a empresa, atingiram resultados satisfatórios.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!