Globo ficou para trás

Com menos espaço, jornalismo do SBT supera rivais e é eleito o mais confiável do Brasil

Confiança do público foi medida do Instituto Reuters

Com menos espaço, jornalismo do SBT supera rivais e é eleito o mais confiável do Brasil
Rachel Sheherazade e Caros Nascimento apresentam o "SBT Brasil". Jornalismo do canal foi eleito o mais confiável do Brasil. Foto: Divulgação

Naian Lucas
i

Naian Lucas

Naian Lucas escreve há 10 anos e já fez de tudo um pouco nas redações. Apaixonado por televisão, é roteirista e trabalha na área desde 2014. Atualmente, é repórter do NaTelinha e aficcionado por tudo que envolve dramaturgia. Siga-me no Twitter: @naiaan

Publicado em 13/06/2019 às 13:03:30 Atualizado em 13/06/2019 às 13:09:13 com Daniel César

Mesmo com menos tempo na grade de programação do horário comercial na comparação com seus principais rivais da TV aberta, o jornalismo do SBT foi eleito como o mais confiável do Brasil, deixando para trás Globo e Record, que oferecem grande espaço para a informação.

Pesquisa internacional realizada pelo Instituto Reuters em parceria com a Universidade de Oxford, no Reino Unido, colocou o jornalismo da emissora paulista no topo do ranking de confiança, embora conte com apenas dois programas diários de jornalismo no horário comercial, o "Primeiro Impacto", que é um dos jornalísticos a apostar na informação nas manhãs da TV brasileira, e o "SBT Brasil".

Segundo os dados publicados pela pesquisa e que o NaTelinha teve acesso, o jornalismo do SBT recebeu a nota mais alta dos usuários que foram questionados sobre o quanto confiam na informação dos principais grupos de notícias do país. A nota dada ao canal da Anhanguera foi 7,12.

Vale ressaltar que o levantamento não foi exclusivamente com notícias televisivas, mas englobou grupos de mídias, incluindo jornal impresso e o jornalismo de internet. A posição da emissora chamou a atenção porque, além do espaço na programação, o jornalismo do SBT costumeiramente não acompanha em tempo real os principais fatos do país.

Como foi o caso do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Praticamente todos os canais de TV aberta investiram no tema em abril de 2016 e transmitiram ao vivo boa parte da votação no Congresso que afastou a presidente. O SBT optou por ignorar a sessão.

A pesquisa recolheu os dados em 2018 e é voltada para a parcela mais rica da população, que não é, costumeiramente, o público alvo do canal de Silvio Santos, com programação mais focada para as Classes C, D e E. O que pode justificar a nota alta é o tom dado ao jornalismo da emissora.

Os princípios editoriais para o jornalismo do SBT preveem que a notícia seja dada num tom otimista. Campanha publicitária de 2013 mostrou que a emissora se preocupa com o tema: "O tom do jornalismo deve ser otimista, procurando mostrar que, mesmo nas situações mais trágicas, é possível dar a volta por cima".

O "SBT Brasil" fez questão de comemorar os resultados e fez reportagem divulgando os dados da pesquisa que colocaram o jornalismo do canal no topo da lista.

E quem pensa que o Grupo Globo garantiu o segundo lugar no ranking está enganado. Invertendo a lógica da audiência alta ser sinal de confiança, a Band apareceu logo após o SBT. Com a nota de 7,07 o canal ficou na vice-liderança, superando o jornalismo da Record que aparece em terceiro com 6,97.

A Globo, emissora com o maior jornalismo da TV aberta brasileira, está apenas na décima posição, entre 12 participantes. Com a nota 5,97, o jornalismo da emissora carioca supera apenas os sites IG e Huffspot. É preciso salientar que, na pesquisa, o jornalismo da Globo inclui o portal de notícias G1.

Mais assistidos

Na contramão da confiança, a pesquisa também revelou quais são os veículos de comunicação mais acessados pelos participantes. E, neste caso, a Globo ganhou disparado, com 60% respondendo que se informou pelo jornalismo da Globo na última semana. 

Todos os primeiros lugares nesta questão ficaram com emissoras de televisão. Além da liderança da Globo, a Record ficou com a segunda posição com 42%, já o SBT ficou no terceiro lugar (38%) e a Band em quarto com 37%. 

O jornalismo da RedeTV! também apareceu nesta questão, na 11ª posição, com 12%. A CNN, que está entrando no mercado brasileiro e anunciou nomes como William Waack e Evaristo Costa, ficou no ranking na nona posição com 13% de citações pelo seu canal internacional.

Reputação da Globo

A pesquisa do Instituto Reuters oferece resultados bem diferentes do levantamento realizado pela empresa de consultoria de marketing DOM Strategy Partners. A empresa divulgou os resultados do estudo "Reputation Index" que mostrou as marcas com a melhor reputação do país em 22 subsetores da economia.

Neste estudo, a Globo foi considerada a empresa com a maior reputação do Brasil. O SBT ficou em segundo lugar, enquanto Record, Band e RedeTV! sequer foram citadas. Vale ressaltar, no entanto, que neste caso, não se falou exclusivamente do jornalismo, mas da empresa como um todo.

Veja os 12 veículos de notícias mais confiáveis do Brasil, segundo levantamento da Reuters

1º SBT - 7,12

2º Band - 7,07

3º Record - 6,97

4º UOL - 6,53

5º Estadão - 6,50

6º Terra - 6,37

7º RedeTV! - 6,37

8º Folha - 6,26

9º O Globo - 6,06

10º Globo - 5,97

11º IG - 5,96

12º Huffspot - 5,95

Os veículos de informação mais acessados pela população, segundo a Reuters

1º Globo - 60%

2º Record - 42%

3º SBT - 39%

4º Band - 38%

5º O Globo - 26%

6º Jornal local ou regional - 24%

7º Folha - 20%

8º Rádio comercial - 14%

9º CNN - 13%

10º Estadão - 13%

11º RedeTV! - 12%

12º - BBC News - 12%

13º TV Brasil - 9%

14º - Jornal impresso gratuito local - 8%

15º Extra - 8%

16º O Dia - 8%


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!