Reportar erro
Exclusivo

Marcello Camargo sobre Hebe no Brasil atual: "Estaria indignada"

Filho da apresentadora também não fará um novo filme dela

Hebe Camargo beijando o filho Marcello Camargo
Marcello Camargo está cuidando do legado de Hebe - Foto: Reprodução
Naian Lucas, com Sandro Nascimento

Publicado em 05/07/2021 às 07:09:09,
atualizado em 05/07/2021 às 12:31:30

Marcello Camargo, 55 anos, tem feito muitos projetos pessoais, como o Café com Selinho, mas também tem planos para seguir mostrando o legado de Hebe Camargo para os fãs da apresentadora. Filho único da rainha da televisão brasileira, ele descarta um novo filme da história da artista, mas garante que fará palestras pelo país sobre a vida dela. O apresentador quer mostrar às pessoas como Hebe era na intimidade e opina sobre como ela se posicionaria politicamente caso ainda estivesse viva.

“Pra você saber como ela [Hebe Camargo] se posicionaria, basta ver a entrevista dela no Roda Viva em 1987, porque parece que as coisas não mudaram, né? É tudo igual, só vai se repetindo. Mudam os personagens, mas a história é sempre a mesma. Mas com certeza ela estaria indignada, como sempre ficou”, diz ele em entrevista exclusiva ao NaTelinha.

Marcello tem certeza que sua mãe lutaria contra qualquer tipo de preconceito, pois ela fez isso durante toda sua vida. Porém, em relação ao pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro, o apresentador acredita que a comunicadora não iria se envolver.

“Lutar contra o preconceito ela sempre lutou. Eu volto a repetir, basta assistir a entrevista dela ao Roda Viva, que ela se posiciona defendendo os homossexuais, ela questionada se incentivaria as pessoas a serem homossexuais e ela dá uma ótima de uma resposta. Quanto a pedir o impeachment do Bolsonaro, acho que ela não participaria disso. Mesmo porque, eu acho que já é muito tarde para o impeachment. Acho que o mais correto a se fazer é esperar as próximas eleições”, comenta.

Em 1987, Hebe participou do Roda Viva e se mostrou bastante moderna e à frente do seu tempo, tanto que alguns jornalistas ficaram incomodados com as declarações dela. Defensora da comunidade LGBTQIAP+, além de outras minorias, a apresentadora é usada como exemplo de grupos progressistas até hoje.

“Por que não defender [os gays]? Eles são piores do que a gente? Eles escolheram ser assim? São seres humanos iguais a gente. Eles têm pai, têm mãe, irmãos, trabalham, pagam seus impostos”, comentou a apresentadora na época.

“O fato de eu falar, não vai mudar. Ou as pessoas nascem assim ou não nascem. Não é porque a Hebe Camargo falou. ‘A Hebe Camargo falou, maravilha, então vou ser’. Não. Quem tem que ser, é. Não faço a cabeça de ninguém”, acrescentou.

O Globoplay e a Globo exibiram a minissérie baseada na vida de Hebe Camargo, usando como matéria o filme Hebe - A Estrela do Brasil. Marcello confessa que ficou insatisfeito com a produção, mas que não fará um novo longa sobre a biografia da artista.

“Não haverá outro filme, não vamos fazer outro filme. Apesar de ter ficado extremamente descontente com o filme que tem hoje, não será feito outro, mas sim palestras que eu mesmo vou fazer combinado com pockets de exposição, com pequenas peças do acervo dela que complementarão as palestras que a ideia é fazer por todo Brasil”, explica.

Marcello Carvalho e o acervo de Hebe Camargo

Com a morte do seu primo, Cláudio Pessutti, Marcello ficou com a responsabilidade de cuidar do acervo de Hebe. O apresentador relata que se assustou ao receber a notícia que Cláudio havia falecido, mas que já há duas pessoas o ajudando a cuidar de toda a trajetória da rainha da TV brasileira.

“Me pegou de surpresa a partida do Cláudio. Ele que cuidava de tudo relacionado ao nome da minha mãe e, com a partida dele, voltou pra mim. Escolhi duas pessoas da minha extrema confiança e competência, que conhecem muito a história dela, pra me ajudar a administrar esse legado, que são a Lydia Sayeg e o Evaldo Pereira”, detalha.

E exposições sobre a vida dela vão acontecer por todo país, segundo explica Camargo. Inclusive, os fãs da apresentadora saberão um pouco mais dela na intimidade através do filho, que fará palestras da trajetória da artista.

“Estão sendo preparadas exposições. Já ocorreram duas na cidade de São Paulo antes da pandemia. Uma, inclusive, começou e aí veio logo a pandemia, ela parou por um tempo e depois voltou. A ideia é continuar com essas exposições itinerantes, levá-las para o Brasil todo junto com palestras. Eu tô querendo fazer palestras contando a verdadeira história de Hebe Camargo”, conta ele.

Marcello Camargo e a comunicação

Marcello é formado como administrador de empresas pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), mas ele optou por seguir a carreira de apresentador, seguindo os caminhos da sua mãe. Em 1997, ele assinou contrato com a Band Vale, em Taubaté, interior de São Paulo, e não parou mais.

Atualmente, tem se dedicado bastante ao canal Café com Selinho no YouTube, entrevistando diversas celebridades e artistas. Ao final de cada episódio, o convidado recebe um “selinho”, que é um selo com a fotografia de Hebe Camargo, juntamente com um cartão postal personalizado do programa.

“Eu adoro entrevista, adoro fazer um programa bem descontraído, em um ritmo de bate-papo e, na verdade, já tive um programa de auditório na Band Vale, no interior de São Paulo. Pra mim, não é novidade estar de frente às câmeras, gosto muito, me dá muito prazer”, afirma Marcello.

O Café com Selinho surgiu em 2017 e Camargo já realizou mais de 80 entrevistas no canal, que possui cerca de 25 mil inscritos. Essa paixão por comunicação é antiga e ele não tem a intenção de parar de dialogar com as pessoas.

“Comecei a fazer TV no fim dos anos 90. Eu morava em São José dos Campos e comecei a fazer esse programa na Band Vale, que era um programa bem nos moldes da minha mãe. Surgiu assim, de repente, do nada. Eu falei: ‘Por que não fazer, né?’ Aí comecei e não parei mais”, finaliza.



Mais Notícias
Outros Famosos