Reportar erro
Bomba

Rodrigo Constantino é demitido da Jovem Pan após questionar estupro de Mari Ferrer

Opinião do jornalista foi massacrada por internautas

Rodrigo Constantino sentado e falando perto de um microfone
Rodrigo Constantino falou sobre caso Mari Ferrer - Foto: Reprodução/Twitter
Naian Lucas, com Gabriel Vaquer

Publicado em 04/11/2020 às 16:14:00

Rodrigo Constantino foi demitido pela rádio Jovem Pan na tarde desta quarta-feira (4), após comentar (veja vídeo abaixo) o caso Mariana Ferrer e questionar o estupro da jovem. O colunista afirmou que não denunciaria possíveis estupradores da sua filha, dependendo dos fatos do suposto episódio. Após muitas críticas nas redes sociais, a direção da rádio decidiu pelo desligamento do colunista. A informação foi confirmada em nota.

No Twitter, Constantino desabafou: "Vocês venceram uma batalha, parabéns! A pressão foi tão grande sobre a Jovem Pan, distorcendo claramente minha fala, que não resistiram. Não os culpo. É do jogo. Quem me conhece e quem viu de fato sabe que eu jamais faria apologia ao estupro! Mas desde já estou fora da Jovem Pan".

Segundo apurou o NaTelinha, a nova direção da Jovem Pan cedeu à pressão interna e entendeu que Rodrigo passou de todos os limites, sendo impossível mantê-lo no quadro de funcionários, mesmo ele seguindo a linha de direita que a rádio busca.

Em comunicado, a empresa repudiou o comentário de Constantino e deixou claro que ele foi feito numa live independente, sem ligação com a Jovem Pan. Confira na íntegra:

"O Grupo Jovem Pan tem como premissa a liberdade de expressão e o amplo debate entre seus comentaristas. Diante do ocorrido nesta quarta-feira em uma live independente promovida fora de nossas plataformas por um de nossos comentaristas, o Grupo Jovem Pan esclarece que desaprova veementemente todo o conteúdo publicado nos canais apresentados e nesta live. Reafirmamos que as opiniões de nossos comentarias são independentes e não representam a opinião do Grupo Jovem Pan. No caso de Mariana Ferrer, defendemos que a vítima não deve ser responsabilizada, apesar do respeito que todos nós devemos ter de decisões judiciais. Em consequência do episódio, Rodrigo Constantino foi desligado do quadro de comentaristas nesta quarta (04/11)".

O comentarista abordou na manhã de hoje a absolvição de André de Camargo Aranha, acusado de estuprar Mariana Ferrer em 2018, e disse que se o episódio fosse com a sua filha, a colocaria de castigo e não denunciaria ninguém à polícia.

“Se minha filha chegar em casa, eu dou boa educação para que isso não aconteça, mas a gente não controla tudo, se ela chega em casa e fala: ‘pai, fui pra uma festinha e fui estuprada’. Eu vou falar: ‘Me dá as circunstâncias’. ‘Ah, fui pra uma festinha, eu e três amigas, tinha 18 homens, nós bebemos muito, tava ficando com dois caras e eu acabei dormindo. Fui abusada’. Ela vai ficar de castigo feio, eu não vou denunciar um cara desse pra polícia”, disparou.

“Eu vou dar esporro na minha filha, porque alguma coisa ela errou feio. E eu devo ter errado pra ela agir assim, né? Porque é um comportamento completamente condenável, porque a gente não pode mais falar essas coisas hoje em dia, né? Que existe mulher piranha e mulher decente. Como falei aqui, o homem que faz isso não é decente, mas também não existe a ideia de mulher decente? As feministas querem que não, né? Porque feminista é tudo recalcada, ressentida e, normalmente, mocreia, vadia, odeia homem, odeia união estável, odeia casamento, odeia tudo isso. Só por isso”, continuou.

Vera Magalhães detonou posição de Rodrigo Constantino

O vídeo da declaração de Constantino circulou nas redes sociais e muitos internautas detonaram o posicionamento do jornalista, inclusive a apresentadora do Roda Viva, Vera Magalhães. A comunicadora é uma antiga ‘opositora” de Rodrigo, tanto que eles já discutiram em outras ocasiões por causa de diversos assuntos.

“Meu maior orgulho e minha maior alegria são o fato de que esse indigente moral, intelectual e mental tenha me escolhido como sua antípoda. Ser o oposto dele é tranquilizador. Que nojo”, disse Vera. “Colegas e amigos da Jovem Pan: há um limite ético e civilizatório até o qual se pode chegar. Apologia ao estupro ultrapassa em muito esses limites. Ou vocês reagem a isso de maneira clara ou serão sempre confundidos com essa escória moral, esse lixo humano. Não há escolha”, completou.

Rodrigo Constantino se defendeu das críticas

Antes de ser demitido pela Jovem Pan, Rodrigo Constantino não ficou calado diante das críticas e voltou a comentar o assunto pelo seu perfil do Twitter. “Nos comentários vemos o ‘ódio do bem’ da patota do lacre. Mas felizmente dou EDUCAÇÃO aos meus filhos, que precisam aprender a ser HOMENS E MULHERES decentes. Coisa que essa turma podre nunca vai entender...”, declarou.

Logo em seguida, ele criticou Vera e pediu a sua demissão da TV Cultura. “Vera Magalhães marcou a Jovem Pan pedindo novamente minha cabeça por ‘limites éticos’, já que eu teria feito ‘apologia ao estupro’. Essa demente passou dos limites e terá de responder na Justiça. Mulher amarga, nojenta, MENTIROSA. Se eu estou justamente questionando se É estupro quando uma mulher, bêbada, CONSENTE em fazer sexo, como a IMBECIL MAU CARÁTER diz que fiz apologia ao estupro?! É a mesma que chamou um amigo meu de ‘traficante de cloroquina’ por defender um remédio inofensivo e barato. Asco!”, detonou.

Ao saber da crítica, Vera rebateu Rodrigo: “Hey, Constantino, me processe. Ou anexe ao processo que já movo contra você. Quanto mais estivermos em lados opostos, melhor. Mas apague o vídeo antes que sua filha ou a mãe dela o vejam. Use seu suposto cristianismo para isso. Ela não merece ser escada do seu personagem bufo”.

Mais Notícias
Outros Famosos