Polêmica

Cotado no governo Bolsonaro, Mario Frias é criticado por Samara Felippo: "Não compactuo"

Durante live, atriz demonstrou que não concorda com o posicionamento do ex-colega

 Cotado no governo Bolsonaro, Mario Frias é criticado por Samara Felippo: "Não compactuo"
Samara Felippo e Mario Frias - Foto: Montagem/Reprodução

Redação NT

Publicado em 25/05/2020 às 18:52:42

Durante live, Samara Felippo estava conversando com Natália Lage, e em determinado momento, fez críticas a Mario Frios, criticando o seu posicionamento político e o fato de ser cotado para assumir o lugar de Regina Duarte, no Ministério da Cultura do governo Bolsonaro.

continua depois da publicidade

A atriz, está fazendo algumas transmissões ao vivo com os atores que fizeram parte da temporada de Malhação, que foi exibida em 1999, para comemorar os 25 anos da novela, a qual Frias também fez parte.

Ao ser questionada pela convidada se ela iria também chamar o ator para o debate, ela se mostrou totalmente contrária. "Eu não concordo, não compactuo. Não sei se quero chamar essa energia, esse lugar".

continua depois da publicidade

Samara Felippo critica Mario Frias em live

Depois, ela justificou que acredita que ele precisa estar mais preparado para assumir o cargo: "Tenho pensado todos os dias sobre isso. Ele foi protagonista junto com a Priscila Fantin. É uma referência daquela época. A questão é que deveria ser uma pessoa minimamente com discernimento para entender que, para estar num lugar como esse [Secretaria da Cultura], de tanta responsabilidade, de tanta sabedoria, tem que estar muito preparado".

continua depois da publicidade

Natália etão explicou o motivo de sua pergunta, e aproveitou para fazer duras críticas ao atual governo. "Fiquei curiosa de ouvir ele falar. A memória que eu tenho é que tinha muito carinho por ele, era muito legal com a gente, mas depois nunca mais vi, não sabia onde estava e o que estava fazendo. Daí quando rolou esse papo, foi uma surpresa, nunca imaginei. Só o fato de estar de acordo com esse governo absurdo...", comentou.

continua depois da publicidade