Reportar erro
Colunas

Final do "SuperStar" diz muito sobre o atual momento da música brasileira

Antenado

banda-fulo2606.jpg
Foto: Isabella Pinheiro/TV Globo
Redação NT

Publicado em 27/06/2016 às 12:45:31

A final do "SuperStar", que aconteceu neste domingo (26) na Globo, revoltou muita gente nas redes sociais, e com bastante razão, diga-se de passagem.

A vencedora, a Fulô de Mandacaru, derrubou uma das mais criativas e originais bandas que surgiram não só no programa, mas também no cenário musical recente brasileiro: Plutão Já Foi Planeta.

Desde o início, Plutão já despontava, por conta de sua música autoral de alta qualidade, mesclas de ritmos, como o rock, MPB e pop, além de uma melodia extremamente agradável de se ouvir. É uma banda suave, que você viaja.

Já a Fulô de Mandacaru toca o forró pé de serra, de Luiz Gonzaga. E isso se tornou o seu maior problema: em sua trajetória, a banda não tocou uma música autoral, apenas covers de sucessos conhecidos do forró pé de serra. E nem mesmo releituras foram feitas.

Fulô de Mandacaru é um competente arroz com feijão, mas não o suficiente para vencer um programa musical, que requer não só musicalidade e carisma. Requer originalidade, boas letras e criatividade nas possíveis releituras - foi o caso, por exemplo, da banda Playmobille, que recriou "Pensa em Mim", de Leandro e Leonardo, com o ritmo de "Boys Don't Cry", do The Cure.

No próprio "SuperStar", há exemplos de bandas de forró mais originais que Fulô. É o caso de Os Gonzagas, que participou da segunda temporada.

O resultado deste terceiro ano mostra muito do que está ocorrendo no nosso cenário fonográfico. Rejeitamos a criatividade e a originalidade, e abraçamos o que é repetitivo, maçante - é só ver o sucesso do sertanejo universitário, onde duplas praticamente têm as mesas vozes e mesmas letras. É uma pena, quem perde é a música nacional.


Gabriel Vaquer escreve sobre mídia e televisão há vários anos. No NaTelinha, é responsável por reportagens variadas e especiais. Na coluna "Antenado", fala sobre TV aberta quando a necessidade pedir. Já no "Eu Paguei Pra Ver", às segundas, conta histórias curiosas sobre a TV por assinatura no Brasil. Converse com ele. E-mail: gabriel@natelinha.com.br / Twitter: @bielvaquer

TAGS:
Mais Notícias