Reportar erro
Colunas

Bom reality, previsibilidade do fim prejudicou desempenho do "Power Couple"

Antenado

powercouple-laurajorge-campeoes-final-21062016.jpg
Reprodução
Redação NT

Publicado em 22/06/2016 às 11:01:03

Na noite desta terça-feira (21), chegou ao fim a primeira temporada do reality "Power Couple Brasil", apresentado por Roberto Justus na Record. E a direção da emissora tem bons motivos para comemorar.

A primeira é que o programa deu uma guinada na audiência das noites de terça-feira, fechando com média de 10 pontos de Ibope em sua trajetória na Grande São Paulo, além de atingir a liderança por várias vezes no confronto com o "Jornal da Globo".

O "Power Couple" herdou o público que gosta de reality de confinamento e de game ao mesmo tempo, e ainda deu uma estancada no arrasa-quarteirão da Band, o "MasterChef", que até manteve o seu público cativo, mas não conseguiu crescer mais.

Além disso, a atração foi muito bem produzida. O casting montado pela Record não era um dos melhores da TV, como disse Justus, mas de fato rendeu.

Laura Keller e Jorge eram excelentes jogadores e ainda por cima tinham muita vantagem nas provas físicas e de raciocínio. Com os seus concorrentes mais ávidos por aparecer do que a ganhar o prêmio final - casos claros de Gretchen e Simony, que inventavam problemas com Laura e Jorge do nada -, a conquista ficou até bem fácil.

Inclusive, esse foi o maior defeito do "Power Couple Brasil": o seu final. Laura e Jorge eram tão superiores aos seus concorrentes, tanto na aceitação do público quanto nas provas, que o resultado ficou previsível. O programa final teve ares de enrolação, já que era óbvio quem iria levar. Porém, Justus o comandou com dignidade. Realmente, o publicitário tem crescido como apresentador - e até ele mesmo sabe disso, tanto que agora só investe na carreira artística.

Para a confirmada próxima temporada, espera-se que o "Power Couple" mantenha o bom nível de entretenimento que foi durante os três meses que ficou no ar. Sem dúvida, foi o maior acerto da Record neste primeiro semestre.


Gabriel Vaquer escreve sobre mídia e televisão há vários anos. No NaTelinha, é responsável por reportagens variadas e especiais. Na coluna "Antenado", fala sobre TV aberta quando a necessidade pedir. Já no "Eu Paguei Pra Ver", às segundas, conta histórias curiosas sobre a TV por assinatura no Brasil. Converse com ele. E-mail: gabriel@natelinha.com.br / Twitter: @bielvaquer

Mais Notícias