Reportar erro
Colunas

Algoz da Globo, Balanço Geral dá aula de como ser popular sem ser popularesco

Antenado

balancogeralsp-reinaldogottino-renatolombardi-fabiolareipert.jpg
Divulgação/TV Record
Redação NT

Publicado em 17/06/2016 às 07:25:10

Popularesco. Adjetivo. Algo que apela para o gosto popular, cujo conteúdo é apelativo e banal. Você sabe muito bem que essa definição se aplica a muitos programas que estão no ar na TV brasileira, inclusive na própria Record, que é a emissora que exibe a atração alvo deste texto.

Na TV, é muito mais fácil ser popularesco. É mais tranquilo, é certo que a audiência vai subir. Mas ser popular sem agredir seu público é uma arte. O popular não é errado, longe disso. Mas fazer algo rasteiro para chamar o público, sim. O "Balanço Geral SP", exibido do meio dia às 14h45 e apresentado por Reinaldo Gottino, dá aulas diárias de como ser popular sem baixar o nível, ou cair na apelação rasteira.

Gottino é correto, não grita, não menospreza o seu telespectador e sabe conduzir um programa longo, tanto quando ele foca mais na notícia de momento - como foi no acidente de ônibus que matou 18 pessoas que pegava a linha Mogi-Bertioga na semana passada - ou quando ele vira para o lado do entretenimento - no caso, as notícias de famosos e matérias bem humoradas nas ruas ou com sub-celebridades. Com anos de casa, e sempre muito competente, Gottino merecia uma grande chance como essa.

[galeria]
O grande trunfo é o "Hora da Venenosa". Você pode, sim, e tem todo o direito, de achar que Fabíola Reipert é uma jornalista que não é correta. Mas é inegável seu carisma frente às câmeras. Com Gottino e Renato Lombardi, o trio virou uma espécie de atração imperdível no início da tarde.

Maléfica, Reipert dá pitadas certeiras que causam bons risos. Gottino faz o papel de certinho, mas sem perder o tom. Lombardi, o defensor. A combinação explosiva faz quem está em casa se divertir bastante. Tem mais identidade e alma que o "Vídeo Show", que de tão mutante, perdeu seu jeito e a liderança, com mais méritos do concorrente do que deméritos da Globo, que se vira como pode para impedir o avanço.

Para quem gosta do verdadeiro programa popular, que não baixa o nível e respeita seu público, o "Balanço Geral SP" é um prato cheio. O primeiro lugar é só uma consequência do que leva pra ele. Merece todos os elogios, ainda mais numa TV brasileira que cai no sensacionalismo num piscar de olhos.


Gabriel Vaquer escreve sobre mídia e televisão há vários anos. No NaTelinha, é responsável por reportagens variadas e especiais. Na coluna "Antenado", fala sobre TV aberta quando a necessidade pedir. Já no "Eu Paguei Pra Ver", às segundas, conta histórias curiosas sobre a TV por assinatura no Brasil. Converse com ele. E-mail: gabriel@natelinha.com.br / Twitter: @bielvaquer

Mais Notícias