Reportar erro
Colunas

Enfoque NT: O caso Cirilo na Record e a revolta do SBT

414cb61f8057b5169b82c3322b189df0.jpg
Divulgação/TV Record
Thiago Forato

Publicado em 13/04/2014 às 08:58:40

Nesta semana que passou, o ator Jean Paulo Campos, que fez o Cirilo na novela "Carrossel", esteve no centro das atenções por trocar o SBT pela Record, praticamente na surdina. O anúncio oficial deve ser feito neste domingo (13) no "Domingo Show".

Ninguém lá na Anhanguera sabia de nada até que uma matéria contando o acontecido fosse público aqui no NaTelinha.

Muitos estão acusando os pais do menino com o argumento de que eles foram antiéticos e aproveitadores. Mas, na verdade, não é bem assim. Temos que tentar entender todos os lados da história.

As condições financeiras de Jean já foram mostradas no “Domingo Legal”. A criança não nasceu em berço de ouro e o papel conquistado em “Carrossel”, há dois anos, o projetou e ajudou toda a família com seu salário, que não deveria ser nada magro.
 
Passado todo esse tempo, até agora atuava em “Patrulha Salvadora”, onde o ator já gravou dezenas de episódios. E quando ninguém esperava, eis que surge, do nada, o anúncio da contratação de Jean. Falta de ética?

Tanto Jean quanto seus pais são muito simples. Talvez eles não tenham a noção do que significa ética e não tenham a dimensão do que fizeram. Apenas viram cifras mais altas e um suposto projeto de carreira nas mãos, e assinaram um novo acordo. A Record é quem deveria ter tido o papel, neste caso, de tentar intermediar alguma coisa, ou fazer com que os pais levassem o SBT a tomar conhecimento de seu interesse. A emissora de Silvio Santos só ficou sabendo da sua contratação, repito, pela internet. É descabido.

E ainda, com todo o respeito, Jean Paulo Campos não era nem de longe um dos meninos mais talentosos de “Carrossel”. O personagem só fez sucesso porque o conjunto da obra foi diferenciado e o produto final ficou muito bom. O Cirilo faria sucesso independentemente de quem o interpretasse. E segundo algumas fontes, a Record se apegou nisso: tirar um personagem forte de “Carrossel” para impedir uma possível reprise do SBT.

Mas contratar por este motivo é tão risível que eu não vou nem comentar, caso seja verdade. Contudo, diante dos fatos, não dá para duvidar. A Record não tem investimentos maciços no segmento infantil desde a época de Eliana e Jean Paulo Campos, reitero, não é um ator mirim acima da média.
 

Contatos do colunista: thiagoforato@natelinha.com.br - Twitter: @Forato_

Mais Notícias